Índias Ocidentais Dinamarquesas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização das Índias Ocidentais Dinamarquesas.

As Índias Ocidentais Dinamarquesas[1][2] (em dinamarquês: Dansk Vestindien), ou Antilhas Dinamarquesas, foram uma antiga colônia dinamarquesa localizada no Caribe, compostas pelas ilhas de São Tomás (83 km2), São João (49 km2) e Santa Cruz (220 km2). Jomfruøerne (Ilhas Virgens) era o nome geográfico em dinamarquês para as ilhas. Em 1917 os Estados Unidos compraram essas ilhas que atualmente constituem as Ilhas Virgens Americanas.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A Companhia Dinamarquesa das Índias Ocidentais anexou a ilha desabitada de São Tomás em 1672 e São João em 1675. Em 1733, Santa Cruz foi comparada a partir da Companhia Francesa das Índias Ocidentais.[4][5] Quando a Companhia foi à falência em 1755, o rei do Reino da Dinamarca e Noruega assumiu o controle direto das três ilhas. As Índias Ocidentais Dinamarquesas foram ocupadas pelo Reino Unido entre 1801 e 1802 e entre 1807 e 1815, durante as Guerras Napoleônicas.[3]

A intenção da colonização dinamarquesa nas Índias Ocidentais era explorar o lucrativo comércio triangular, envolvendo a exportação de armas de fogo e outros bens manufaturados para a África em troca de escravos que eram então transportados para o Caribe para trabalhar nas plantações de cana-de-açúcar. A fase final desse comércio era a exportação de cargas de açúcar e rum para a Dinamarca. A economia das Índias Ocidentais Dinamarquesas era dependente da escravidão. Depois de uma rebelião, a escravidão foi oficialmente abolida em 1848, levando ao colapso econômico perto das plantações.

Em 1852, a venda da colônia cada vez mais Inútil era debatida pela primeira vez no Parlamento dinamarquês. A Dinamarca tentou várias vezes vender ou trocar as Índias Ocidentais Dinamarquesas durante o final do século XIX e início do século XX, para os Estados Unidos e Império Alemão, respectivamente. As ilhas foram, eventualmente, vendidas por 25 milhões de dólares para o Estados Unidos, que assçãotam a administração em 31 de março de 1917, renomeando as ilhas para Ilhas Virgens dos Estados Unidos.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Palmowski, Jan (1 de janeiro de 1998). Diccionario de historia universal del siglo XX (em espanhol). [S.l.]: Editorial Complutense. ISBN 9788489784574. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  2. Strathern, Paul (8 de setembro de 2014). Kierkegaard en 90 minutos (em espanhol). [S.l.]: Siglo XXI de España Editores. ISBN 9788432317002. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  3. a b c Dookhan, Isaac. A History of the Virgin Islands of the United States. Canoe Press, 1974. ISBN 9768125055.
  4. Charles E. Taylor. Leaflets from the Danish West Indies: Descriptive of the social, political and commercial conditions of these islands
  5. Franz Lawaetz. «Seven Flags: The History of St. Croix» (em inglês). Consultado em 22 de setembro de 2016  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]