Acámero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Acámero
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação Governador
Principais trabalhos

Acámero (em grego: Ἀκάμηρος; romaniz.: Akámeros; fl. 799 - seu nome original foi provavelmente Akamir[1] - foi o "arconte dos esclavenos da Belzétia" (ό των Σκλαυινών της Βελζητίας άρχων), uma comunidade eslava meridional autônoma na Tessália Oriental sob suserania bizantina, no final do século VIII.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ele é mencionado apenas uma vez, por Teófanes, o Confessor,[2][3] como líder de uma conspiração envolvendo os filhos de Constantino V Coprônimo (r. 741–775) - os antigos césares Nicéforo e Cristóvão, e seus irmãos mais novos Nicetas, Ântimo e Eudócimo - que tinham sido depostos e mutilados pelo irmão mais velho deles, o imperador Leão IV, o Cazar (r. 775–780). Após a morte de Leão, sua esposa, Irene de Atenas, depôs seu filho Constantino VI em 797, e enviou seus tios em exílio para Atenas para que não pudessem ameaçar seu governo.[4]

Em março de 799, Acámero, em conluio com tropas do Tema da Hélade, planejou proclamar um deles como imperador. O plano, contudo, foi frustrado após Irene ser informada, e a imperatriz enviou um parente de confiança para Atenas: os irmãos foram cegados e levados para a ilha de Panormo, no mar de Mármara. Nada mais se sabe sobre Acámero.[2][3]

Referências

  1. Mango 1997, p. 652, n. 5.
  2. a b Mango 1997, p. 651–652.
  3. a b Curta 2006, p. 110.
  4. Kazhdan 1991, p. 1476.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Curta, Florin (2006). Southeastern Europe in the Middle Ages, 500-1250. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 0521815398 
  • Kazhdan, Alexander Petrovich (1991). The Oxford Dictionary of Byzantium. Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-504652-8 
  • Mango, Cyril; Scott, Roger (1997). The Chronicle of Theophanes Confessor. Byzantine and Near Eastern History, AD 284–813 (em inglês). Oxford, Reino Unido: Oxford University Press. ISBN 0-19-822568-7