Aeroporto de Guarapari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Aeroporto de Guarapari
Aeroporto
IATA: GUZ - ICAO: SNGA
Características
Tipo Público
Administração Prefeitura de Guarapari
Serve Guarapari
Inauguração 1987 (35 anos)
Coordenadas 20° 38' 47" S 40° 29' 30" O
Altitude 9 m (30 ft)
Mapa
SNGA está localizado em: Espírito Santo
SNGA
Localização do aeroporto no Espírito Santo
Pistas
Cabeceira(s)
Comprimento
Superfície
06/24
940  m (3 084 ft)
Notas
Dados do DECEA[1]

O Aeroporto de Guarapari (ICAO: SNGA) é um aeródromo localizado na Praia do morro no município de Guarapari, no estado do Espírito Santo. O aeroporto é administrado pela Prefeitura de Guarapari e tem capacidade para receber aeronaves de pequeno e médio porte.

Suas coordenadas são as seguintes: 20°39'02.00"S de latitude e 40°29'32.00"W de longitude.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A pista do aeroporto possui 1.190 metros de comprimento por 30 de largura, dos quais 940 são homologados, de asfalto. As cabeceiras são 06/24 que tem áreas de escape de 300 metros em ambas e espaço para hangares e oficinas. O aeroporto também possui sistema de balizamento noturno. O aeroporto pode receber aviões particulares, como turboélices e jatos, de pequeno e médio porte e possui abastecimento próprio.

O terminal é pequeno e normalmente recebe aviões particulares e comerciais relativamente pequenos. Depois da reformado interna chegou a receber os voos da Azul Conecta durante o verão de 2020/2021.

Uma das principais limitações do aeroporto é ter nas cabeceiras da pista um posto de combustível e um grande centro comercial. [2]

Histórico de operações comerciais[editar | editar código-fonte]

Entre 1995 e 2002, a TAM operava voos comerciais com o Fokker F-50 entre o Aeroporto da Pampulha e o Aeroporto de Guarapari.

Em fevereiro de 2003, foi anunciado que o novo Aeroporto de Guarapari começaria a ser construído em uma área três vezes maior que o de Vitória. O projeto, que foi aprovado na época pelo Departamento de Aviação Civil, consistia em uma pista de 2,5 mil metros que poderia ser ampliada para uma pista de 3,5 mil metros. A pista possibilitaria, inclusive, pousos e decolagens de voos internacionais. [3]

Em 2017 o aeroporto foi interditado pela Agência Nacional de Aviação Civil para ajustes na segurança de pousos e decolagens. Na época, o aeroporto realizava uma média de 300 pousos por mês, chegando a mil pousos no verão. [4]

Após 18 anos sem voos comercias, no verão de 2020/2021 a Azul Conecta, empresa sub-regional da Azul linhas Aéreas Brasileiras, operava um voo diário entre Guarapari e o Aeroporto de Confins (BH) com o Cessna 208B Grand Caravan. [5]

Em dezembro de 2020 o governo do Espírito Santo inaugurou a nova estrutura do Aeroporto Municipal de Guarapari. [6]

Outras operações[editar | editar código-fonte]

Paraquedismo[editar | editar código-fonte]

O aeroporto também já foi base para lançamento de paraquedistas no Espírito Santo. Os voos eram organizados pela Federação Capixaba de Paraquedistas e realizados a uma altitude de 12 mil metros com queda livre de cerca de 40 segundos e 7 minutos de voo contemplativo com o paraquedas aberto. [7]

Escola de Aviação[editar | editar código-fonte]

A QNE Escola de Aviadores é a única no aeroporto. Possui curso para piloto privado (PP), piloto comercial (PC) e instrutor de voo. De acordo com o site da escola, a frota da escola é composta por Cessnas 152 e Piper Cherokee PA-28, além de um simulador AATD capaz de simular todas as situações de um voo real, inclusive panes e condições meteorológicas adversas.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Fokker 100 TAM[editar | editar código-fonte]

Em 9 de julho de 1998, um avião Fokker 100, de matrícula PT-MRG decolou do aeroporto de Congonhas e chegou ao Espírito Santo por volta das 09:50. O avião teria como destino o Aeroporto de Vitória. No entanto, o pouso foi equivocadamente realizado no aeroporto de Guarapari. No momento do pouso o aeroporto não estava com operações e não havia nenhum suporte local para desembarque. O piloto afirmou que os passageiros teriam duas opções: voar por mais 15 minutos em direção à Vitória ou seguir por terra através de taxis fretados pela companhia. Cerca de 45 passageiros escolheram realizar a viagem por terra.

A assessoria de Imprensa da TAM informou na época que o poso foi por perda de sinais enviados pela torre do Aeroporto de Vitória. No entanto, o secretário de Segurança de Voo do Sindicato Nacional dos Aeronautas, na altura, afirmou que, mesmo com a falha do equipamento, existiriam outros mecanismos de auxílio ao piloto. Ele afirmou que o erro provavelmente aconteceu por uma decisão do piloto de fazer o "pouso visual" procedimento realizado uma vez ao ano entre os pilotos, como uma espécie de prova prática.

O Fokker 100 PT-MRG depois passou para as mãos de empresas mexicana e paraguaia e hoje encontra-se em posse da empresa Jet Midwest LLC. [8]

Apreensão de Helicóptero[editar | editar código-fonte]

Em 2017 o vereador de Belo Horizonte, Rubens Gonçalves Brito (PSDB), foi preso após pousar um helicóptero no meio da Praia da Bacutia em Guarapari. O pouso foi realizado sem autorização prévia e o helicóptero foi apreendido e conduzido ao aeroporto de Guarapari. [9]

Monomotor particular[editar | editar código-fonte]

No dia 19 de fevereiro de 2020, um monomotor particular caiu sobre o escritório de uma loja de construção próximo ao aeroporto. Felizmente, ninguém estava dentro do local. No avião estavam o piloto Luciano Ferreira de Souza, que morreu, e o copiloto Fabiano Luiz Gonçalves.

O documento do acidente relata que a aeronave decolou de Guarapari com destino ao Aeroporto de Vitória. De acordo com o CENIPA, “Durante a decolagem, a aeronave entrou em emergência e o piloto realizou uma curva acentuada à direita, com intenções de retornar ao aeródromo de origem. A aeronave perdeu altitude e colidiu contra dois galpões. A aeronave ficou destruída e os dois tripulantes sofreram lesões fatais”.

Referências

  1. «Guarapari (SNGA)». AISWEB 
  2. «OPINIÃO: Qual será o futuro do Aeroporto de Guarapari? | Portal 27». www.portal27.com.br. Consultado em 14 de abril de 2022 
  3. «NOVO aeroporto em Guarapari.». www.ijsn.es.gov.br. Consultado em 14 de abril de 2022 
  4. «Aeroporto de Guarapari é interditado e está sem operar há 3 semanas no ES». G1. Consultado em 14 de abril de 2022 
  5. «Aeroporto de Guarapari recebe primeiro voo comercial após 18 anos | A Gazeta». www.agazeta.com.br. Consultado em 14 de abril de 2022 
  6. PRODEST; ES, Portal. «Aeroporto de Guarapari começa a receber voos diretos de Belo Horizonte». Portal ES. Consultado em 14 de abril de 2022 
  7. Meirelles, Danilo R. (11 de outubro de 2015). «Guarapari terá base para lançamento e voo duplo de paraquedistas no ES». Gazeta Online. Consultado em 14 de abril de 2022 
  8. «O incrível dia em que o piloto da TAM errou de aeroporto e pousou avião em Guarapari | A Gazeta». www.agazeta.com.br. Consultado em 14 de abril de 2022 
  9. Ulhôa, Ana Cláudia (27 de janeiro de 2017). «Vereador de BH é preso após pousar helicóptero em praia de Guarapari». Hoje em Dia. Consultado em 14 de abril de 2022 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um aeroporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.