Agobardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Santo Agobardo de Lyon
Santo Agobardo expulsando os judeus de Lyon
Arcebispo de Lyon
Nascimento c. 779 em Espanha[1]
Morte 840 em Lyon, França
Veneração por Igreja Católica
Festa litúrgica 6 de junho
Gloriole.svg Portal dos Santos

Agobardo ou Agobard (em latim Agobardus Lugdunensis) foi um santo espanhol católico. Ele foi arcebispo de Lyon e um dos representantes mais ilustres do clima de despertar cultural que foi chamado Renascença carolíngia.

O Arcebispo Agobardo pronunciou-se contra o uso e veneração de imagens. Ele também condenou os judeus, chamando-os de "filii diaboli" ("filhos do diabo").[2]

Biografia

Nascido na Espanha (769 D.C), em 782 ele se mudou para a Gália Narbonense, em seguida partiu como companheiro de Leidradus para Lyon, o Missus (delegado) de Carlos Magno, em uma de suas viagens a trabalho na região da Gália Narbonense e La Seu d'Urgell. Ordenado sacerdote em 804 e nomeado arcebispo de Lyon por Leidradus em 813, Agobardo governou a Sé de Lyon após a retirada de Leidradus a Soissons (814 D.C), e em 816 foi nomeado seu sucessor. Agobardo foi um dos maiores prelados em sua época. Por causa da sua oposição ao imperador Luís, o piedoso, no concílio de Compiègne (833 D.C), ele foi forçado a se retirar Lyon após a coroação do imperador em 835, tomando refúgio sob Lotário I na Itália. Ao mesmo tempo a sua posição em Lyon foi dada ao seu oponente, Amalário de Metz. Em 838, após sua reconciliação com o imperador, Agobardo retornou a Lyon. Sua presença no concílio de Paris (825) é incerta, mas é certo que ele não participou da elaboração do Libellus sinodal contra as imagens dirigido ao Papa Eugênio IV.[3]

Obras

Ele compôs muitos escritos teológicos, por exemplo, contra Felix de Urgel De insolentia Judaeorum contra os judeus, e numerosas obras políticas, jurídicas, e litúrgicas. Ele também escreveu contra a superstição. O Liber de imaginibus, muitas vezes atribuído a ele,foi composto por Claudio de Turim. Suas outras obras autênticas - documentos oficiais de sua sé - são o produto da colaboração com diácono Floro de Lyon. A De divina psalmodia, Contra libros IV Amralii, e o hino Rector magnificus são obras exclusivamente de Floro.

Bibliografia

  • Annales Lugdunenses, in Monumenta Germania Historica: Scriptores 1:110, autobiographical notes from the margin of Codex Vallicellianus E 26.
  • Patrologia Latina, ed. J. P. MIGNE (Paris 1878–90) 104:29–352.
  • Monumenta Germaniae Historica: Scriptores 15.1:274–279.
  • Monumenta Germaniae Historica: Epistolae 5:150–239.
  • E. BOSHOF, Erzbischof Agobard von Lyon. Leben und Werk (Cologne 1969).
  • A. BRESSOLLES, Saint Agobard, évèque de Lyon, 769–840, v.1 of Doctrine et action politique d’Agobard (Paris 1949).
  • J. A. CABANISS, Agobard of Lyons (Syracuse 1953).
  • P. BELLET, ‘‘El Liber de imaginibus sanctorum bajo el nombre de Agobardo de Lyon obra de Claudio de Turín,’’ Analecta Sacra Tarraconensia 26 (1953) 151–194.
  • L. SCHEFFCZYK, Lexicon für Theologie und Kirche, ed. J. HOFER and K. RAHNER (Freiburg 1957–65) 1:204.

Referências

  1. Jones, Terry. «Agobard». Patron Saints Index. Consultado em 18 de março de 2007. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2007 
  2. Jeremy Cohen, Living Letters of the Law: Ideas of the Jew in Medieval Christianity, (Berkeley: University of California Press, 1999), 144-5.
  3. Marthaler, Berard. L (2003). New Catholic Encyclopedia. Farmington Hills, Michigan: Thomsom Gale. pp. p. 186 
Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um santo, um beato ou um religioso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.