Ajuga reptans

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAjuga reptans
20140511Ajuga reptans2.jpg

Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Ajuga
Espécie: A. reptans
Nome binomial
Ajuga reptans
L.

Ajuga reptans é uma espécie de planta com flor pertencente à família Lamiaceae.

A autoridade científica da espécie é L., tendo sido publicada em Species Plantarum 2: 561. 1753.[1]

Os seus nomes comuns são ajuga, ajuga-rasteira, bugula, búgula, bugula-reptante, búgula-reptante, consolda-média, cansolda-média, consolda-mediana, língua-de-boi, erva-férrea, erva-de-são-lourenço, viuvinha, erva-corocha ou erva-carocha.[2][3][4]

Descrição : Planta da família das Lamiaceae, também conhecida como ajugaíba, búgula, consolda média, erva de são léo, erva de são-lourenço, erva férrea, jujuba, língua de boi.

É uma planta perene, de crescimento lento, as folhas inferiores, roxas, são oblongas, obtusas, com bordas suavemente dentadas, e dessa massa colorida e rasteira, caules de até 20 centímentros que florescem no início do verão.

Flores roxo-azuladas crescem em espiral ao redor de uma espiga, e entre elas nascem folhas pequenas da mesma cor, o que dá à planta inteira um tom azulado.

No fim do verão, as folhas mudam de cor, ficando verde-escuras manchadas de violeta.

Certa variedades tem folhas verdes e flores cor-de-rosa.

As raízes formam novas plantas toda primavera, de modo que é muito fácil criar um canteiro de ajuga.

Ela é muito usada em forração substituindo o gramado.

Parte utilizada: Planta toda.

Origem: Ásia, Europa

Princípios Ativos: Antocianinas, saponina, sais orgânicos, taninos.

Propriedades medicinais: Adstringente, amarga, anti-hemorroidal, antiinflamatória, aromática, carminativa, cicatrizante, colagoga, diurética, estomacal, febrífuga, hemostática, laxativa, narcótico (de efeito moderado), sedativa, tônica, vulnerária.

Indicações: Amigdalite, articulações inflamadas, constipação intestinal, disfunções biliares, disfunções da circulação sangüínea, efeitos do excesso de bebidas alcoólicas, feridas, fístulas, gangrenas, hemorragias, úlceras.

Contra-indicações/cuidados: Preferencialmente fazer uso externo, devido efeito narcótico moderado.

Em doses elevadas detecta-se efeito narcótico e tônico do coração.

Modo de usar:

infusão da planta: hemorragias, disfunções da circulação sangüínea, disfunções biliares, constipação, efeitos do excesso de bebidas alcoólicas;

- decocção da planta: amigdalite.

- compressas: curar feridas, úlceras, gangrenas, fístulas e articulações inflamadas.

- raiz: maior poder adstringente.

Portugal[editar | editar código-fonte]

Trata-se de uma espécie presente no território português, nomeadamente em Portugal Continental.

Em termos de naturalidade é nativa da região atrás indicada.

Protecção[editar | editar código-fonte]

Não se encontra protegida por legislação portuguesa ou da Comunidade Europeia.

Referências

  1. Tropicos.org. Missouri Botanical Garden. 7 de Outubro de 2014 <http://www.tropicos.org/Name/17600017>
  2. Ajuga reptans - The Euro+Med PlantBase
  3. Ajuga reptans - Flora Digital de Portugal. jb.utad.pt/flora.
  4. Ajuga reptans - naturdata

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.