Albano Dias Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Albano Martins
Nome completo Albano Dias Martins
Nascimento 6 de agosto de 1930
Fundão, Portugal
Morte 6 de junho de 2018 (87 anos)
Vila Nova de Gaia, Portugal
Nacionalidade portuguesa
Ocupação Poeta
Magnum opus Três poemas de amor

Albano Dias Martins (Fundão, 6 de agosto de 1930Vila Nova de Gaia, 6 de junho de 2018)[1] foi um poeta português.[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na aldeia do Telhado, concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco, província da Beira Baixa, Portugal.

Formado em Filologia Clássica clássica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa,[2][3] foi professor do Ensino Secundário de 1956 a 1976. Exerceu o cargo de Inspetor-coordenador da Inspeção-Geral do Ensino.[2][3]

Tendo ingressado, em 1980, nos quadros da Inspeção-Geral de Ensino, passou, em 1993, à situação de aposentado. À data da sua morte, era professor na Universidade Fernando Pessoa, do Porto.

Foi um dos fundadores da revista Árvore[2] [4] e colaborador da Colóquio-Letras[3] e Nova Renascença.[3]

Fez também algumas traduções como "O Essencial de Alceu"[3] e "Cantos de Leopardi",[3] "Cântico dos Cânticos". "Dez Poetas Gregos Arcaico", "O Aprendiz de Feiticeiro", "Dez Poetas Italianos Contemporâneos", "O Aprendiz de Feiticeiro" e "Os Versos do Capitão".

Morreu a 6 de junho de 2018, em Mafamude, Vila Nova de Gaia, onde residia.[5]

  • sobre os seus poemas:

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1950 - Secura Verde
  • 1967 - Coração de Bússola
  • 1974 - Em Tempo e Memória
  • 1979 - Paralelo ao Vento
  • 1980 - Inconcretos Domínios
  • 1982 - A Margem do Azul[1]
  • 1983 - Os Remos Escaldantes
  • 1987 - Poemas do Retorno
  • 1987 - A Voz do Chorinho ou os Apelos da Memória
  • 1988 - Vertical o Desejo
  • 1989 - Rodomel Rododendro
  • 1990 - Vocação do Silêncio, Poesia 1950-1985
  • 1990 - Os Patamares da Memória
  • 1992 - Entre a Cicuta e o Mosto
  • 1993 - Uma Colina para os Lábios
  • 1995 - Com as Flores do Salgueiro
  • 1996 - O Mesmo Nome
  • 1998 - O Espaço Partilhado
  • 1998 - A Voz do Olhar
  • 1999 - Escrito a Vermelho
  • 2000 - Agenda Poética 2000 Albano Martins
  • 2000 - Antologia Poética
  • 2000 - Assim Sâo as Algas. Poesia 1950-2000
  • 2001 - Castália e Outros Poemas
  • 2004 - Três Poemas de Amor Seguidos de Livro Quarto
  • 2004 - Frágeis São as Palavras
  • 2005 - Agenda Poética 2005
  • 2006 - Palinódias, Palimpsestos

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «A Margem do Azul». Miguel de Carvalho - livreiro antiquário. Consultado em 9 de fevereiro de 2015.. Cópia arquivada em 18 de dezembro de 2014 
  2. a b c d Grande Livro dos Portugueses ISBN 972-42-0143-0
  3. a b c d e f g h i Grande Enciclopédia Universal (vol. 13) ISBN 84-96330-13-3
  4. Árvore: folhas de poesia (1951-1953) cópia digital, Hemeroteca Digital
  5. Morreu o poeta Albano Dias Martins, JN 6.6.2018