Alemães do Volga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estátua comemorativa de uma família de pioneiros alemães do Volga em Victoria, Kansas, Estados Unidos
Alemães étnicos do Volga, em 1920. Atualmente 590 mil pessoas se identificam como Wolgadeutsche, sendo que 395 mil ainda habitam na Rússia.[1]

Os Alemães do Volga (em alemão: Wolgadeutsche or Russlanddeutsche, russo: Поволжские немцы , tr. Povolzhskiye nemtsy) é um grupo étnico alemão que vivia próximo ao Rio Volga, na Rússia. Foram convidados por Catarina, a Grande, por volta de 1763, para colonizar o Baixo Volga, próximo ao mar Cáspio, nas regiões de Saratov e Sâmara. Com o advento do nacionalismo do final do século XIX, os russos alemães perderam os privilégios concedidos à época de Catarina, tais como isenção do serviço militar e do pagamento de impostos, além da própria autonomia de gestão das colônias. Em consequência, a maior parte deles deixou a Rússia. Alguns retornaram para a Alemanha, outros emigraram para os Estados Unidos, Canadá, Argentina e Brasil.

Na região dos Campos Gerais, foram criados três núcleos de colônias de russos-alemães do Volga. Em Ponta Grossa, Otavia; em Palmeira Sinimbú; na Lapa, as colônias de Marienthal, Johannesdorf e Virmond. A maioria dessas colônias não prosperou em razão do insucesso no cultivo do trigo, principal plantação dos imigrantes. Assim, muitos colonos acabaram por se transferir para as cidades.[2]

Referências

  1. «Russian Census 2010: Population by ethnicity» (XLS). Perepis-2010.ru (em russo). Consultado em 12 de novembro de 2017 
  2. Russos-alemães do Volga

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Alemanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Alemães do Volga