Alex Barron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alex Barron
Alex Barron 2006 Indy 500 Carb Day.jpg
Alex Barron no Carburation Day da Indy 500 de 2006.
Informações pessoais
Nome completo Alex Barron
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americano
Nascimento 11 de junho de 1970 (48 anos)
San Diego, Califórnia
Registros na IndyCar Series
Temporadas 2001–2005, 2007
Equipes 6 (Sam Schmidt, Blair Racing, Penske,
Mo Nunn, Cheever e CURB/Agajanian/Beck)
Corridas 62
Títulos 0 (5º em 2002)
Vitórias 2
Pódios 5
Pontos 1.271
Pole positions 0
Primeira corrida Estados Unidos GP de St. Louis, 2001
Última corrida Estados Unidos Indy 500, 2007
Registros na Champ Car
Temporadas 1998–2001
Equipes 4 (All American Racers, Penske,
Dale Coyne e Arciero-Blair)
Corridas 36 (34 largadas)
Títulos 0 (26º em 2000)
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 16
Pole positions 0
Primeira corrida Estados Unidos GP de Miami, 1998
Última corrida Estados Unidos GP de Fontana, 2001

Alex Barron (San Diego, 11 de junho de 1970) é um piloto automobilístico norte-americano.

Carreira[editar | editar código-fonte]

CART[editar | editar código-fonte]

Após algum tempo competindo na Fórmula Ford 2000 e na Fórmula Atlantic (onde foi campeão em 1997), Barron chegou a fazer um teste com a Arciero-Wells Racing, como prêmio pelo título nesta última. A equipe gostou do que viu e ofereceu um contrato a ele, mas a aposentadoria do argentino Juan Manuel Fangio II, que disputara 2 temporadas pela All American Racers (equipe chefiada pelo ex-piloto de F-1 Dan Gurney), mudou os planos de Barron, que assinou com a equipe para o campeonato de 1998[1]. Em sua primeira corrida, em Miami, chegou em 18º lugar. Sua melhor posição de chegada foi uma 12ª posição, conquistada nas provas do Rio de Janeiro e de Houston. Na etapa de Elkhart Lake, protagonizou um bizarro acidente: escalou o carro do compatriota Bryan Herta, que havia acabado de rodar após uma tentativa de ultrapassagem sobre Bobby Rahal. O Eagle-Toyota #36 foi retirado do Reynard-Ford #8 de Herta, que assim como Barron, não se feriu (embora o carro de Alex tenha passado por centímetros sobre a cabeça do piloto da Rahal). Em Vancouver, liderou por 12 voltas até bater na proteção de pneus.

Permaneceu na AAR durante as 7 primeiras provas da temporada de 1999, alcançando seu primeiro top-10 na categoria com o 9º lugar na corrida de Nazareth. Com os problemas financeiros que afetavam o time, Barron ficou fora de quatro provas (Portland, Cleveland, Road America e Toronto), retornando em Michigan, já pela equipe Penske, que vivia uma grave crise, chegando a disputar parte do campeonato apenas com Al Unser, Jr. e tendo, além de Barron, o uruguaio Gonzalo Rodríguez e o brasileiro Tarso Marques. Ausentou-se de mais sete corridas (Detroit, Mid-Ohio, Chicago, Vancouver, Laguna Seca, Houston e Surfers Paradise), regressando na prova de Fontana, onde abandonou.

Sem equipe para 2000, Barron ficou de férias durante todo o primeiro semestre, mas foi contratado pela equipe Dale Coyne para substituir o brasileiro Gualter Salles nas últimas cinco etapas da temporada. Sua melhor posição foi um 13º lugar em Houston.

Chegou a ser inscrito para disputar o GP do Texas de 2001 pela equipe Arciero-Blair Racing, mas a prova acabou cancelada. Sucedeu o brasileiro Max Wilson nas duas últimas corridas - Surfers Paradise e Fontana - , sendo que nesta última repetiu a nona posição conquistada em 1999. Sem planos para competir na categoria em 2002, Alex decidiu migrar para a IRL com a Blair.

IRL e volta à Atlantic Championship[editar | editar código-fonte]

Mecânicos consertam o carro de Barron durante treinos da Indy 500 de 2007.

Pela IRL, Barron correu entre 2001 (uma prova pela equipe Sam Schmidt) e 2005, retornando em 2007. Em 2002 e 2003, conquistou suas duas vitórias na categoria. A última corrida na IRL foi a Indy 500 de 2007, onde chegou em 15º lugar, representando a CURB/Agajanian/Beck Motorsports.

Sem vaga na IRL para 2006, voltou à Atlantic Championship (então batizada de Champ Car Atlantic Championship) para disputar a temporada daquele ano, defendendo a equipe Polestar Racing Group, fechando o campeonato em 14º, com 96 pontos. O californiano se aposentou das pistas pela primeira vez em 2008, após disputar as 24 horas de Daytona[2][3].

Em 2018, Barron deixou a aposentadoria para correr na F1600 Championship Series, pilotando um Ford.

500 Milhas de Indianápolis[editar | editar código-fonte]

Ano Chassi Motor Partida Chegada Equipe
2002 Dallara Chevrolet 26 4 Blair Racing
2003 G-Force Toyota 25 6 Mo Nunn Racing
2004 Dallara Chevrolet 24 12 Team Cheever
2005 Dallara Toyota 22 13 Team Cheever
2007 Dallara Honda 26 15 CURB/Agajanian/Beck Motorsports

Referências

F1 chequered flag.svg Este artigo sobre um(a) automobilista, integrado ao Projeto Automobilismo, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.