Allvar Gullstrand

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Allvar Gullstrand
Nascimento 5 de junho de 1862
Landskrona
Morte 28 de julho de 1930 (68 anos)
Estocolmo
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1911), Medalha Graefe (1928)
Instituições Universidade de Upsália
Campo(s) Oftalmologia

Allvar Gullstrand (Landskrona, 5 de junho de 1862Estocolmo, 28 de julho de 1930) foi um oftalmologista sueco.

Nascido em Landskrona, Suécia, Gullstrand foi professor (1894-1927) na Universidade de Upsália. Aplicou os métodos de física matemática para o estudo de imagens ópticas e da refração da luz nos olhos, descobrindo mecanismos intracapsulares pelos quais se processa a acomodação visual. Por esse trabalho ele recebeu o prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1911.

Gullstrand também é conhecido por suas pesquisas sobre astigmatismo e por aprimorar o oftalmoscópio e lentes corretivas para uso após a remoção de uma catarata do olho. A base da ciência que ele desenvolveu foi colocada em 1890 em sua tese de doutorado "Contribuição para a teoria do astigmatismo" ("Bidrag till astigmatismens teori").[1] Ele também desenvolveu um modelo da lâmpada de fenda, uma ferramenta de diagnóstico utilizada na biomicroscopia para facilitar o estudo detalhado do olho.

As investigações de Gullstrand levaram a um novo conceito da teoria das imagens ópticas. Ele expandiu a teoria clássica do físico alemão Hermann von Helmholtz para incluir a redisposição de partes internas da estrutura da lente em acomodação, um mecanismo pelo qual o olho pode focar em uma visão próxima ou distante, dentro de certos limites.

Foi eleito membro da Academia Real das Ciências da Suécia, em 1905, e serviu no Comitê Nobel de Física. Enquanto servia na comissão, ele usou sua posição para bloquear Einstein de receber um Prêmio Nobel de Física por sua teoria da relatividade, que Allvar acreditava estar errada.[2]

Gullstrand morreu em Estocolmo, onde foi enterrado no Norra begravningsplatsen.

Referências

  1. «The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1911». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 3 de agosto de 2019 
  2. Ravin JG (1 de maio de 1999). «Gullstrand, Einstein, and the Nobel Prize». Archives of Ophthalmology. 117 (5): 670–672. ISSN 0003-9950. doi:10.1001/archopht.117.5.670 

Prêmio Nobel e a física aplicada à medicina[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Albrecht Kossel
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1911
Sucedido por
Alexis Carrel


Allvar Gullstrand notou que muitos conhecimentos da oftalmologia estavam erroneamente embasados no pressuposto do olho como uma figura homogênea. Dessa maneira, passou a tratar o sistema óptico como uma estrutura complexa e buscou entender o funcionamento físico do órgão visual. Assim, em seu primeiro estudo ,observou que , no astigmatismo, a refração dos raios não convergiam em um foco da totalidade devido a uma curvatura irregular do olho. Portanto, dedicou-se em encontrar uma forma satisfatória de refratar superfícies em instrumentos ópticos.Nesse contexto, criou um olho esquemático e determinou o poder dióptrico para cada elemento se baseando em seu índice de refração específico. A partir desses índices construiu a equação D = (N1 - N2 )/R , em que D é o poder dióptrico da superfície, N1 é o meio de refração para onde se dirige a luz, N2 é o meio de onde partiu a luz e R é o raio de curvatura da lente expresso em metros.Para esse trabalho, em que aplicou os métodos matemáticos e físicos ao estudo de imagens ópticas e da refração da luz no olho, recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, em 1911, o qual abriu novos conceitos no ramo da oftalmologia e a exploração de diversos procedimentos clínicos e cirúrgicos.

Ícone de esboço Este artigo sobre um médico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Allvar Gullstrand