Amalberga de Maubeuge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Amalberga de Maubeuge
Amalberga de Maubeuge
Nascimento Brabante do século VII, Bélgica
Morte 690
Festa litúrgica 10 de julho
Portal dos Santos

Santa Amalberga de Maubeuge (também Amalia, ou Amélia de Lobbes ou Binche) era uma freira e santa merovíngia que viveu no século VII.

Vida[editar | editar código-fonte]

Amalberga nasceu em Brabant. Diz-se que ela era irmã ou sobrinha de Pepino de Landen e se casou com o conde Witger, duque de Lorena.[1] Em sua biografia, ela é apresentada como mãe de cinco santos: Emebert, Reineldis, Pharaildis, Ermelindis e Gudula. Amalberga juntou-se à comunidade monástica na Abadia de Maubeuge após o nascimento de sua filha mais nova, Gudula.

Sua festa é comemorada em 10 de julho. A tradução de suas relíquias de Lobbes para Binche (evento do século XV) é comemorada em 10 de junho.

Amalberga de Maubeuge não deve ser confundida com a virgem Amalberga de Temse (venerada em Ghent, Temse e Munsterbilzen) que morreu em 772 e cujo dia de festa é 10 de julho ou 27 de outubro.

Hagiografia[editar | editar código-fonte]

A biografia de Amalberga de Maubeuge (s: la: Vita S. Amalbergae viduae) é provavelmente escrita pelo abade Hugo de Lobbes (1033-1063) entre 1033 e 1048. Além de alguns detalhes merovíngios, sua genealogia foi copiada de outra hagiografia do século XI, a saber, a história mártir de Catarina de Alexandria. O perfil biográfico de seu lendário marido, duque Witger da Lotharingia, é inspirado em uma figura histórica do século X, Wigeric de Lotharingia.

Referências

  1. «St. Amalberga». Catholic News Agency (em inglês). Consultado em 25 de julho de 2020 

Literatura[editar | editar código-fonte]