Amazaspes IV Mamicônio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Amazaspes Mamicônio.
Amazaspes IV Mamicônio
Etnia Armênio
Progenitores Pai: Davi Mamicônio
Ocupação General
Religião Catolicismo

Amazaspes IV Mamicônio[1] (em armênio/arménio: Համազասպ Դ Մամիկոնյան; transl.: Hamazasp IV Mamikonian) foi um príncipe da Armênia da família Mamicônio de 655 a 661, momento que a Armênia estava sob domínio árabe.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Amazaspes IV era filho do naxarar Davi. De acordo com Cyril Toumanoff, Davi era filho de Baanes, o Lobo, o filho do marzobam de 591 Muchel II.[2] Mas a única fonte à Baanes, o Lobo é a História de Taraunita de João Mamicônio, um romance que Christian Settipani considerava ter historicidade em 1991,[3] antes de rejeitá-lo em 2006.[4] Para ele, Davi era filho de um Amazaspes, filho de Muchel II.[5]

Seu antecessor, Teodoro Rexituni, foi substituído por Amazaspes IV em 655 por ordem dos árabes. No mesmo ano, adquiriu o principado de Besnúnia da família Rexituni.[6] Este voltou-se ao Império Bizantino, com o qual se aliou, contrariando a tradição da sua família, o que causou o desagrado dos árabes.[7] Foi investido na corte de Constantinopla com a dignidade de curopalata.[6] Seu "reinado" termina cerca de 661 (Toumanoff indica 658), sendo sucedido por seu irmão Gregório I. No livro de Sebeos, foi descrito como "excelente homem sob todos os pontos de vista, amante da vida familiar, da leitura e do estudo".[7]

Posteridade[editar | editar código-fonte]

Segundo Cyril Toumanoff, casou-se com a filha de Teodoro Rexituni, que deu a ele três filhos:[2]

  • Muchel IV, asparapetes entre 660 e 693;
  • Afraates, citado em 732; ancestral dos Mamicônios armênios subsequentes;
  • Artavasdes, citado em 693, foi talvez o antepassado do ramo bizantino dos Mamicônios, a partir do qual a dinastia macedônica surgiu.

Segundo Christian Settipani, Amazaspes casou-se com uma filha de Teodoro Rexituni, que deu a ele apenas dois filhos:[5]

  • Muchel V, asparapetes em 706/709, morto após 706/709; ancestral dos Mamicônios subsequentes;
  • Artavasdes, naxarar, morto após 706/709, talvez um ancestral do ramo bizantino dos Mamicônios, que se aliou à dinastia amoriana.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Teodoro Rexituni
Príncipe da Armênia
655-661
Sucedido por
Gregório I Mamicônio

Referências

  1. Wood 2013, p. 33.
  2. a b Toumanoff 1990, p. 331-332.
  3. Settipani 1991, p. 38; 47.
  4. Settipani 2006, p. 138.
  5. a b Settipani 2006, p. 138-142; 309-310.
  6. a b Toumanoff 1963, p. 209.
  7. a b Grousset 1947, p. 304.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Grousset, René (1947). História da Armênia das origens à 1071. Paris: Payot 
  • Settipani, Christian (1991). Nos ancêtres de l'Antiquité : étude des possibilités de liens généalogiques entre les familles de l'Antiquité et celles du haut Moyen-Âge européen. Paris: Christian 
  • Settipani, Christian (2006). Continuidade das elites em Bizâncio durante a idade das trevas. Os príncipes caucasianos do império dos séculos VI ao IX. Paris: de Boccard 
  • Toumanoff, Cyril (1990). Les dynasties de la Caucasie chrétienne de l'Antiquité jusqu'au xixe siècle : Tables généalogiques et chronologiques. Roma: Edizioni Aquila 
  • Wood, Philip (2013). History and Identity in the Late Antique Near East. Oxford: Oxford University Press. ISBN 0199915407