Amiri Baraka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Amiri Baraka
Nascimento 7 de outubro de 1934
Newark
Morte 9 de fevereiro de 2014 (79 anos)
Newark
Nacionalidade Estadunidense
Cônjuge Hettie Cohen (até 1967)
Influências
Género literário Poesia
Movimento literário Beat
Magnum opus "Blues people"

Amiri Baraka, nascido Everett LeRoi Jones (Newark, 7 de outubro de 1934 - 9 de janeiro de 2014) foi um poeta, escritor, dramaturgo e crítico musical dos Estados Unidos, ligado à Geração Beat e autor de ensaios contra o racismo e o colonialismo.

Ativismo[editar | editar código-fonte]

Baraka foi um dos poucos negros a integrar a caravana Beat promovida por Jack Kerouac e Allen Ginsberg, era vigiado pelo FBI e foi um precursor do hip-hop e do rap.[1]

Durante os anos 60 e 70 ele abandonou uma visão de integração social entre brancos e negros, após a Revolução Cubana, o assassinato de Malcolm X e sua prisão e espancamento em 1967, passando a defender uma revolução dos negros.[1]

Autor de diversas obras poéticas e historiográficas, que variavam da poesia, teatro, contos, etc, ele participou de diversos movimentos sociais dos negros estadunidenses.[1]

Internado desde dezembro de 2013 no Newark Beth Israel Medical Center, veio a falecer ao 79 anos.[1]

Referências

  1. a b c d «Morre aos 79 anos o polêmico escritor e ativista Amiri Baraka». Panorama. 10 de janeiro de 2014. Consultado em 11 de janeiro de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.