António Lourenço da Silveira Macedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António Lourenço da Silveira Macedo
Nascimento 11 de setembro de 1818
Morte 18 de dezembro de 1891 (73 anos)
Cidadania Portugal
Ocupação historiador

António Lourenço da Silveira Macedo (Horta, 11 de Setembro de 1818 – Horta, 18 de Dezembro de 1891), foi um historiador e político da ilha do Faial, Açores, autor da primeira obra historiográfica inteiramente dedicada àquela ilha. Foi ainda reitor do liceu da Horta, procurador à Junta Geral do Distrito da Horta, exercendo ainda diversos cargos públicos na administração da sua ilha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

António Lourenço da Silveira Macedo nasceu na Horta, Faial, a 11 de Setembro de 1818, filho de Lourenço António da Silveira Macedo e de sua mulher Maria delfina da Silveira Goulart, ambos naturais da vila da Madalena, da fronteira ilha do Pico.

Filho de pai operário, foi com grande sacrifício que a família lhe propiciou uma educação literária que permitiu que, por Decreto de 3 de Dezembro de 1839, acedesse ao lugar de professor régio da cadeira de latim nas Lajes do Pico, que regia interinamente a desde 1837. Em 1844 foi transferido para a Horta, obtendo provisão definitiva no ano de 1848.

Sendo professor régio de latim, foi integrado no Liceu criado na Horta aquando da reforma do sistema educativo, já que a sua criação implicou a extinção das anteriores cadeiras-régias. No Liceu, Silveira Macedo foi encarregue das disciplinas de Matemática e Filosofia, iniciando uma longa carreira docente naquela instituição.

Ocupou sucessivamente os lugares de secretário e bibliotecário do Liceu da Horta, sendo depois nomeado seu reitor.

Sendo um destacado professor liceal, participou em múltiplas iniciativas cívicas e políticas, exercendo funções de destaque na Junta Geral, na comissão administrativa do porto artificial da Horta, na comissão de agricultura, com especial destaque na luta contra a filoxera que então arruinou as vinhas do Pico.

Silveira de Macedo foi um activo publicista, editando diversos jornais e publicando múltiplos artigos na imprensa da época. também se dedicou à produção de manuais escolares para os alunos do Liceu, que depois de aprovados, eram impressos localmente. Cultivou também os estudos históricos e biográficos, sendo a sua obra mais conhecida a "História das Quatro Ilhas que Formam o Distrito da Horta", publicada em três volumes, na Horta, a partir de 1871.

Por Decreto de 12 de Julho de 1833 foi agraciado com a comenda da Ordem de Cristo, pelos relevantes serviços prestados à sua terra.

Silveira Macedo faleceu na Horta, localidade onde tinha nascido e viveu a maior parte da sua vida, a 18 de Dezembro de 1891.

Obra publicada[editar | editar código-fonte]

  • História das Quatro Ilhas que Formam o Distrito da Horta, 3 vols., Horta, 1871-1878.
  • Compêndios Elementares de Ensino, Horta, 1877 (com segunda edição em 1880):
    • Exemplos edificantes de virtudes morais e cívicas… para leitura nas escolas primárias;
    • Compêndio de gramática portuguesa para os alunos da instrução primária e secundária;
    • Noções de História Geral… para a instrução secundária;
    • Princípios Elementares de Pedagogia;
    • Noções sumária de Geografia e Corografia de Portugal;
    • Ciência infantil para uso das escolas de instrução primária;
    • Elementos de Aritmética;
    • História Sagrada.
  • Breve Tratado de Agricultura, Horta, 1880.
  • Grémio Literário Fayalense (100 números, entre 15 de Maio de 1880 e 1 de Novembro de 1884), periódico de que foi editor e onde publicou numerosos artigos sobre instrução pública e biografias.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Urbano de Mendonça Dias, Literatos dos Açores, Ponta Delgada, 1933 (segunda edição: Editorial Ilha Nova, Vila Franca do campo, 2005).