Arienis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Arienis
Princesa da Lídia
Rainha da Média
Nascimento c. 598 a.C.
Morte século VI a.C.
Cônjuge Astíages
Pai Alíates
Ocupação rainha-consorte
Filha(s)

Arienis (em grego: Άρύηνις Arúēnis[1][2]) foi uma princesa lídia que viveu no século VI a.C. Segundo o historiador grego Heródoto, ela era filha do rei lídio Alíates e, portanto, irmã do futuro rei Creso.

Ela era neta de Sadiates II e de sua esposa Lide, e bisneta de Ardis II.[3] Seu pai, Alíates (r. 600–560 a.C.), foi o quarto rei da dinastia Mermnada que reinou na Lídia. Ela tinha pelo menos dois irmãos: Creso, filho de Alíates com uma mulher cária, e Pantaleão, filho de Alíates com uma mulher grega.[4] Arienis também tinha uma irmã que era casada com Melas, tirano da cidade grega de Éfeso. Creso nasceu em c. 595 a.C. e sua irmã Arienis devia ser dois ou três anos mais velha que ele, sendo que em 585 a.C. já tinha idade para se casar.[5]

De acordo com Heródoto, Alíates e Ciaxares, rei do Império Medo, estavam em guerra constante desde 590 a.C., mas após a Batalha do Hális, os dois combatentes concluíram um tratado de paz. O acordo foi selado com o casamento diplomático de Arienis com Astíages, filho e sucessor de Ciaxares, fortalecendo assim sua aliança. Por meio desse casamento, Astíages se tornou genro de Alíates e cunhado de Creso, que assumiu o trono da Lídia em 560 a.C.[6] Essa aliança preservou a Lídia por mais uma geração, durante a qual desfrutou de seu período mais brilhante.[7] De fato, não há nenhuma fonte independente contra a qual o relato de Heródoto possa ser verificado.[8]

Após o tratado, Ciaxares morreu, deixando o trono para seu filho Astíages. Com seu marido no trono, Arienis se tornou a rainha-consorte e possivelmente foi mãe de Amitis, que se casou com Ciro, o Grande, fundador do Império Aquemênida. Mandane era filha de Astíages, mas Heródoto não menciona claramente que Arienis seja a mãe de Mandane[9] e há especulação de que Mandane pode ter nascido de uma esposa anterior de Astíages.[10] Mandane teria sido casada com o rei persa Cambises I, a quem ela deu à luz um filho chamado Ciro. A possibilidade de Mandane ser filha de outra esposa de Astíages ganha força, pois se consideramos a data do nascimento de Ciro em 576 a.C. seria impossível Mandane ser filha de Arienis. No entanto, a historicidade do casamento entre Mandane e Cambises é duvidosa. De fato, se Arienis for a mãe de Mandane, ela também seria sogra de Cambises I e avó materna de Ciro.[11]

A queda de seu marido por Ciro, o Grande em 550 a.C., deu a Creso uma razão justa para cruzar o rio Hális no intuito de se vingar dos persas.[8]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome Arienis vem da transliteração latina do grego antigo Ἀρύηνις Arúēnis, que era a forma helenizada de um nome lídio cognato com o termo hitita 𒂖 arawanni-, que significa "livre", ou seja, uma pessoa livre, em oposição a uma pessoa escravizada ou não livre.[12][13]

Referências

  1. «A Dictionary of Greek and Roman biography and mythology, Arye'nis». www.perseus.tufts.edu. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  2. «Aryenis - Wiktionary». en.m.wiktionary.org. Consultado em 2 de dezembro de 2020 
  3. «Sadyattes II». Livius.org. Consultado em 13 de dezembro de 2020 
  4. «Alyattes of Lydia». Livius.org. Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  5. «Croesus». Livius.org. Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  6. «ASTYAGES – Encyclopaedia Iranica». iranicaonline.org. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  7. Bury & Meiggs 1975, pp. 142-143
  8. a b «Glossary». www.kerkenes.metu.edu.tr. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  9. Heródoto, Histórias, Livro I, Clio, 107-111 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]
  10. «Astyages». Livius.org. Consultado em 15 de junho de 2020 
  11. «Family of Astyages + and Aryenis + of LYDIA». freepages.rootsweb.com. Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  12. Weeks, David Michael (1985). Hittite Vocabulary:An Anatolian Appendix to Buck’s Dictionary of Selected Synonyms in the Principal Indo-European Languages. Los Angeles: University Microfilms. p. 222 
  13. Puhvel, Jaan (1984). Hittite Etymological Dictionary. 1. [S.l.]: De Gruyter Mouton. pp. 119–120. ISBN 978-9-027-93049-1 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bury, J. B.; Meiggs, Russell (1975). A History of Greece (Fourth Edition). Londres: MacMillan Press. ISBN 0-333-15492-4