Arquiteto (Matrix)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arquiteto
Personagem de Matrix
Nome original The Architect
Espécie Programa de Computador
Criado por Andy e Larry Wachowski
Outros Criador da Matrix
Primeira aparição The Matrix Reloaded
Interpretado por Helmut Bakaitis
IMDb IMDb
Projecto Cinema  · Portal Cinema

O Arquiteto é um personagem fictício presente nos dois últimos filmes da trilogia Matrix, criada pelos irmãos Wachowski. O personagem é interpretado por Helmut Bakaitis. Ele também faz uma aparição no MMORPG The Matrix Online. O Arquiteto aparece pela primeira vez para Neo, sentado em uma grande sala circulares cujas paredes estão cobertas por monitores de televisão no clímax do filme Matrix Reloaded, o segundo filme da trilogia. Ele revela-se a Neo como sendo o criador da Matrix.

Personagem[editar | editar código-fonte]

O Arquiteto é o programa criador da Matrix e supervisiona a sua função. Ao contrário de outros programas, o arquiteto não precisa se "misturar" com os seres humanos e, portanto, é muito mais mecânico em suas ações. Ele fala em longas cadeias de raciocínio lógico, utilizando vários articuladores do discurso ou conectores como "portanto" e "assim" e tem pouca (se houver) variância em sua voz, falando num tom neutro, não importa que palavras use. Tem também pouca expressão facial exceto em seus sorrisos forçados e olhares penetrantes, contudo não apresenta emoções, tais como tristeza, incômodo e arrogância.

A primeira tentativa do Arquiteto de construir a Matrix fracassou, pois baseava-se na utopia de um mundo perfeito, tal falha acarretou na perda de muitas vidas, as quais recusaram-se a aceitar este tipo de mundo. Matrix foi então redesenhada pelo Arquiteto de modo a refletir a cultura humana, mas ainda assim não obteve êxito. Foi o Oráculo quem encontrou a solução, que foi aceita por 99% de todos os indivíduos: uma nova versão da Matrix na qual deu ao homem a escolha inconsciente de aceitá-la ou não. Portanto, os indivíduos inconscientemente poderiam optar por permitir ou não, querer ser parte dela. No entanto, a pequena porcentagem de pessoas que não aceitam a Matrix inevitavelmente aumentam e tornam-se uma ameaça a ela. Apesar deste problema, esta ameaça não foi inesperada e, portanto, de certa forma, pode ser controlada levando ao ciclo descrito no filme.

No terceiro filme, a Oráculo explica a Neo que a verdadeira finalidade do Arquiteto é equilibrar as equações matemáticas que formam a programação da Matrix, e sua incapacidade de ver o mundo como algo além de uma série de equações é a principal razão dele não ser capaz de criar uma Matrix que atinja seu sucesso sozinha. É também por isso que ele é incapaz de compreender o livre arbítrio, e não pode ver os resultados dessas escolhas como algo mais do que incógnitas de equações para ele.

Função[editar | editar código-fonte]

Com a nova Matrix funcionando, foi adaptado um sistema de controle para os habitantes que se recusarem a aceitá-la. Enquanto o Oráculo era capaz de orientar as ações dos homens que deixaram a Matrix pela profecia, foi o arquiteto que programou O Escolhido, o cumpridor desta profecia. O Escolhido foi feito carregando consigo não só o código fonte da Matrix o programa "Prime", programa no qual lhe deu seus surpreendentes poderes sobre a Matrix, mas também com um profundo apego à humanidade, apego que mais tarde o motivaria a cumprir a profecia disseminada pelo Oráculo. Cada vez que o homem livre se torna suficientemente forte para começar a ameaçar a hegemonia da máquina O Escolhido nasceria na Matrix.

Quando a profecia é cumprida pelo Escolhido, as máquinas iniciam o processo de destruição de Zion. Sob a orientação de Oráculo, O Escolhido encontraria o seu caminho para o mainframe das máquinas, também conhecido como "A Fonte", convencido de que suas ações acabariam com a guerra em nome do homem. O Arquiteto, porém, reside em uma sala que fica no caminho para a Fonte, de forma que O Escolhido invariavelmente se depararia com ele ao longo do caminho. Durante este encontro, O Arquiteto revelaria a sua influência ao longo dos últimos eventos e da razão pela qual a Matrix teria sido projetada para permitir que uma pequena porcentagem dos seus habitantes escapassem. O Arquiteto então teria, em seguida, que apresentar ao Escolhido duas alternativas:

  • Ele poderia retornar a Fonte no qual seu código fonte seria reinserido na Matrix, permitindo que o sistema seja reiniciado. Zion ainda seria destruída e as pessoas ainda ficariam retidas na Matrix, mas O Escolhido seria autorizado a escolher a partir da Matrix vinte e três pessoas (sete homens e dezesseis mulheres) a serem libertos para que pudessem fundar uma nova Zion. O Escolhido então morreria, e uma nova profecia de seu retorno seria propagada, assim continuando o ciclo.
  • Ele pode recusar-se a cooperar e retornar à Matrix, em uma tentativa de salvar Zion. Isto daria origem a uma enorme falha no sistema, causando morte de todos os habitantes da Matrix e a destruição de Zion, o que significaria a extinção por completo de toda humanidade.

Antes da chegada de Neo, as atuações do Arquiteto e do Oráculo inicialmente foram muito bem sucedidas para a manutenção do statu quo. Com exceção de Neo, todas as encarnações do Escolhido tinham optado por cooperar com as máquinas, a fim de preservar a humanidade e assim dando continuidade num ciclo interminável de guerra.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]