Bastão expansível tático

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cassetete
Cassete retrátil utilizado por policiais
Tipo Arma menos letal corpo-a-corpo
Local de origem Londres, Reino Unido
História operacional
Utilizadores Policia militar, guarda municipal, policia do exercito, vigilantes, seguranças patrimoniais e praticantes de artes marciais
Especificações
Peso 1 á 4 kg
Notas
No Brasil o porte de um cassetete por um civil se encontra como uma contravenção penal
Era muito comum a utilização de tonfas durante a ditadura militar brasileira, muitas vezes utilizada de forma errada, sem técnica e com abuso de força, causava danos graves

A arma chamada de cassetete, tonfa ou também conhecido pelo meio militar como bastão expansível tático, é um bastão de defesa pessoal considerado uma arma menos letal, normalmente feito de madeira, ferro ou polipropileno.

Seu uso remete ao período vitoriano em Londres pela policia da época, desde este uso em Londres, a utilização do cassetete e de bastões de defesa foram se popularizando através do mundo sendo essencial para as forças de segurança policiais.

O uso deste tipo de bastão se enquadra na lei brasileira de contravenção penal, assim não sendo ilegal, porem passível de multas e de apreensões do equipamento.

História[editar | editar código-fonte]

Os cassetetes foram utilizados inicialmente pela policia de Londres para uma força menos letal, eram feitos de madeira e na época não eram retráteis. Os policiais apelidavam o seu bastão de "Billys Club" sendo "billys" um apelido para policial (dado pelos próprios policiais) e "club" remete ao naipe de páus do inglês, assim sendo "a vara policial".[1][2]

Já o nome em português "cassete" vem do francês "casse-tete" que significa literalmente "quebra-cabeça".

Ferimentos[editar | editar código-fonte]

Leves (hematomas e desmaios temporarios)[editar | editar código-fonte]

A utilização de cassetetes e tonfas podem causar ferimentos leves, com hematomas e se bem utilizado desmaios, no qual não irão afetar o encéfalo apenas causar um leve desmaio e tontura para facilitar a força policial a algemar o suspeito. Casos deste tipo não causam problemas muito graves, porem a utilização errada da tonfa pode levar a morte.[3][4]

Médios a graves (fraturas e hemorragias)[editar | editar código-fonte]

O uso da tonfa de maneira equivocada pode causar a lesão e a fratura de ossos como úmero, ulna e rádio. Este tipo de fratura ocorre quando a vitima tenta proteger seu corpo utilizando o braço e assim quebrando estes ossos. A fratura destes ossos pode ser grave quando o ferimento é uma fratura externa (quando o osso sai do corpo rompendo tecido) ou quando causa uma hemorragia interna por perfuração de artéria ou veia. O nome deste tipo de fratura na traumatologia forense é fratura do cassetete.[3][5]

Morte[editar | editar código-fonte]

O uso errôneo de bastões táticos pode causar a morte, um caso recente foi o caso da morte de Giovanni López, morto pelo uso abusivo da força policial pelo uso de tonfas contra a sua cabeça, este dano na cabeça de Giovanni causou uma lesão no cérebro e assim causando a morte do individuo por traumatismo craniano. Casos de mortes causadas por tonfas são raros, porem são reais e acontecem, principalmente pelo abuso da força e falta de técnica do utilizador do cassetete[3]

Utilização[editar | editar código-fonte]

Policiais Militares portando spray de pimenta, armas com munição de borracha e tonfas em protestos pelo julgamento dos assassinos de João Alberto Freitas em Porto Alegre

Policia Militar[editar | editar código-fonte]

A policia militar tem este equipamento como arma menos letal, juntamente com a taser e a spark e em alguns casos uma arma de beanbag ou bala de borracha. Este equipamento é utilizado para defesa pessoal em caso de ataques corpo-a-corpo a algum policial em serviço. O tipo de equipamento pode mudar de estado para estado e de batalhão para batalhão. Esta arma também é utilizado em protestos juntamente com escudos balísticos para dispersar manifestantes. A cavalaria da policia militar utiliza de cassetetes maiores para ter maior eficiência, tendo em vista que o tamanho padrão de tonfas em cima de cavalos não é eficiente.[6]

Guarda Municipal[editar | editar código-fonte]

Com a mesma função que a policia militar, os guardas municipais normalmente utilizam o cassetete em seu dia-a-dia de trabalho nas ruas.[7]

Seguranças Patrimoniais e Vigilantes[editar | editar código-fonte]

Estes profissionais também fazem utilização deste equipamento, principalmente quando os mesmos não tem a permissão para portar armas de fogo, assim utilizando dos bastões para defesa do patrimônio, geralmente estes vigilantes ficam em regiões de menos periculosidade e assim não necessitando da utilização de armas de fogo (como shoppings, aeroportos, hospitais, escolas...). É menos comum com vigilantes que portam armas, já que o custo beneficio não é compensador.[8]

Praticantes de artes marciais[editar | editar código-fonte]

Algumas artes marciais como jogo do pau, tahtib, calinda, eskrima, nguni e como alternativa para outras artes marciais que utilizam espadas que porem utilizam também bastões para evitar ferimentos em treinamentos como o kenjutsu e o kendo.[9]

Legalidade para civis[editar | editar código-fonte]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil o cassetete é considerado uma contravenção penal, assim entrando juntamente com outras armas brancas como facas e canivetes no código penal brasileiro. O artigo 19 da constituição federal de 1988 cita o seguinte:

Sendo assim, é proibido portar armas fora de sua residência, porem se você tiver licença para portar a mesma isto passa de ser ilegal para ser um ato legalizado. Porem já que não existe licença federal para o uso de cassetetes ou bastões táticos, isso se encaixa em uma contravenção penal, onde é ilegal portar arma porem não pode ser julgado como crime pois o estado não oferecendo uma licença para uso, você não tem culpa por não possuir a licença. A "pena" para este tipo de caso, varia de autoridade para autoridade, porem geralmente são avisos verbais, apreensão do equipamento e em últimos casos multas.[10][11][12]

Referências

  1. «Definition of baton | Dictionary.com». www.dictionary.com (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2021 
  2. F., Ayoob, Massad (1990). Fundamentals of modern police impact weapons. [S.l.]: Police Bookshelf. OCLC 26388251 
  3. a b c Bonaccorso, Norma. «Traumatologia Forense» (PDF) 
  4. «Cassetete dói… e muito». www.observatoriodaimprensa.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  5. «Fratura do Cassetete ou Fratura Isolada da Ulna.». Dr Ricardo Kaempf - Cirurgia de Mão e Microcirurgia. 20 de janeiro de 2018. Consultado em 3 de maio de 2021 
  6. «SOBRE O CASSETETE, O REVOLVER E A LEI E DA IMPORTÂNCIA DO ENSINO JURÍDICO PARA A ATIVIDADE POLICIAL MILITAR». jus.com.br. Consultado em 27 de junho de 2022 
  7. Desenvolvimento, Núcleo. «Guarda Municipal participa de treinamento de cassetete e defesa pessoal - Prefeitura Municipal de Valparaíso de Goiás». www.valparaisodegoias.go.gov.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  8. adminintersept (3 de fevereiro de 2014). «Segurança Privada e o uso de Armas não letais l Grupo Intersept». Intersept | Empresa de Segurança, Serviços Terceirizados e Rastreamento. Consultado em 3 de maio de 2021 
  9. «Artes marciais com bastões». Saitoaikidojo.com.pt (em inglês). 29 de junho de 2016. Consultado em 3 de maio de 2021 
  10. «Porte de Arma Branca». Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios. Consultado em 3 de maio de 2021 
  11. «PORTE DE ARMA BRANCA É CRIME ?: posso portar faca; canivete; estilete, entre outras armas brancas? | Portal Jurídico Brasil». portaljuridicobrasil.com.br. Consultado em 3 de maio de 2021 
  12. «Informe-se sobre o porte de lâminas! - Blog Cutelaria Cimo: tudo sobre o lifestyle cuteleiro!». 9 de março de 2020. Consultado em 3 de maio de 2021