Bobi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bobi
Cão Bobi.jpg
Bobi recebendo a certificação do Guiness
Informações
Espécie cão
Raça Rafeiro do Alentejo
Sexo macho
Nascimento 11 de maio de 1992 (30 anos)
Conqueiros, Leiria, Portugal
Nacionalidade Portugal Portugal
Conhecido por cão de maior longevidade da história

Bobi (Conqueiros, 11 de maio de 1992) é um cão macho da raça Rafeiro do Alentejo, pertencente à família Costa, da vila de Conqueiros, Leiria, Portugal. Até 30 de março de 2023, Bobi é o cão mais velho ainda vivo, bem como o cão mais velho da história,[1] superando o recorde anterior detido por Bluey, da Austrália. Bobi foi validado pelo banco de dados de animais de estimação do governo português e certificado pelo Guinness World Records.[2]

Vida[editar | editar código-fonte]

Em 1992, Bobi nasceu como um dos quatro filhotes machos em um anexo onde a família Costa armazenava madeira.[3] Devido ao número de animais que a família já possuía, o pai de Leonel Costa, atual dono do cão, decidiu que não poderiam ficar com os filhotes recém-nascidos, decidindo enterrar os animais (algo comum na época).[4] No dia seguinte ao nascimento dos cães, os pais de Leonel entraram no quarto e levaram-nos rapidamente enquanto a mãe dos cães, Gira, estava ausente. No entanto, na pressa, eles não perceberam que haviam deixado um para trás, Bobi, que estava disfarçado entre toda a madeira.[4] Leonel e seus irmãos decidiram manter em segredo a existência de Bobi. Quando os pais de Leonel finalmente descobriram que o cão ainda estava vivo, após uma ou duas semanas, Bobi já havia se desenvolvido e, então, o cão passou então a fazer parte da família.[4]

Ao longo dos anos, de acordo com a família, Bobi sempre foi muito sociável, pois cresceu em companhia de muitos outros animais. Ele nunca foi acorrentado ou preso a uma coleira e sempre gostou de passear livremente pelas florestas e fazendas que cercam a casa da família Costa. Em 2018, Bobi foi hospitalizado após desmaiar repentinamente devido a dificuldade respiratória, mas sobreviveu.[4] Atualmente, devido a sua velhice, Bobi é menos aventureiro, anda menos, tem uma pior visão, descansa mais do que costumava e passa a maior parte do tempo no quintal com outros animais.[4]

Longevidade[editar | editar código-fonte]

De acordo com o Guinness World Records, em 10 de janeiro de 2023, Bobi foi certificado como o cão mais velho ainda vivo, bem como o cão mais velho que já existiu, com 30 anos e 243 dias, superando o recorde anterior de Bluey de 29 anos e 5 meses, recorde que existia há mais de 80 anos.[5] Até 30 de março de 2023, continua sendo o cão mais velho da história com 30 anos e 323 dias.[4]

Em 1992, Bobi foi inscrito no Serviço Médico-Veterinário do Município de Leiria, que confirmou a data de nascimento do cão. A idade de Bobi também foi verificada e validado pelo Sistema de Informação de Animais de Companhia, um banco de dados de animais de estimação autorizado pelo governo português e administrado pelo Sindicato Nacional dos Médicos Veterinários.[1][4]

Os proprietários atribuíram a longevidade de Bobi a um "ambiente calmo e pacífico" e ao consumo de alimentos humanos em vez de alimentos de origem animal.[2]

Referências

  1. a b «Oldest dog ever». Guinness World Records (em inglês). Consultado em 4 de fevereiro de 2023 
  2. a b «Bobi breaks Guinness World Record for oldest dog ever». BBC News (em inglês). 3 de fevereiro de 2023. Consultado em 4 de fevereiro de 2023 
  3. «'Oldest dog ever,' Bobi, dethrones Guinness World Records holder» (em inglês). 2 de fevereiro de 2023. Consultado em 4 de fevereiro de 2023 
  4. a b c d e f g «Oldest dog EVER record broken by 30-year-old Bobi from Portugal». Guinness World Records (em inglês). 2 de fevereiro de 2023. Consultado em 4 de fevereiro de 2023 
  5. «Cachorro português de 30 anos é considerado o mais velho de todos os tempos pelo Guinness». www.g1.globo.com. 3 de fevereiro de 2023. Consultado em 4 de fevereiro de 2023