Bombardeamento do Majlis em 1908

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Bombardeio ao Parlamento Persa de 1908 aconteceu no dia 23 de junho de 1908 em Teerã quando o exército cossaco persa servindo ao Xá da Pérsia ajudando com canhões e soldados cossacos do Império Russo atiraram e atacaram o parlamento iraniano, o Majles.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Parlamento do Irão em 1906

Mohammad Ali Shah Qajar, O Xá da Pérsia, que ascendeu ao trono em janeiro de 1907 foi contra a constituição que foi ratificada durante o governo de seu pai Mozaffar ad-Din Shah Qajar.[2] Depois de sua ascensão, em agosto de 1907 um acordo Anglo-russo dividiu o Irão em uma zona russa no norte e uma zona britânica no sul e uma zona neutra no centro. Os britânicos apoiaram o xá abandonando os constitucionalistas.[3] O xá tentou eliminar o poder do Majles com o apoio político e militar da Russia e da Grã-Bretanha.[4]

Na mesma época que a revolução constitucionalista estava ocorrendo na Pérsia, o xá se isolou em sua residência no forte Bagh-e Shah no oeste de Teerã. Ele teve a ajuda do exército cossaco para controlar a revolução e deixou a cidade de Teerã sob sua custódia.[1][4]

O coronel russo Vladimir Liakhov, que era o comandante do exército cossaco, o liderou para subjugar o Majles e executar lideres do movimento constitucionalista em 23 de junho de 1908. O exército atacou o parlamento e danificou o prédio.[1] Esse evento iniciou um período conhecido como Tirania. Liakhov foi nomeado governador militar de Teerã pelo xá, transformando a cidade em uma área militar.[1]

No entanto, em julho de 1909, forças pró-constitucionalistas marcharam de onde atualmente é o Azerbaijão para Teerã. Eles foram capazes de capturar Teerã, depor o xá e re-promulgar a constituição. O coronel Liakhoff e o exército serviram o xá até julho de 1909, quando o xá abdicou e fugiu para a Rússia, resultando na rendição de e do exército cossaco. Liakhov foi perdoado pelos líderes constitucionalistas provavelmente porque eles temiam um ataque do Império Russo e ele foi enviado de volta a São Petersburgo, onde ele seria demitido depois de servir na campanha do Cáucaso na Primeira Guerra Mundial.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «The Iranian History 1908 AD». www.fouman.com. Consultado em 28 de setembro de 2015 
  2. Donzel, E. J. Van (1 de janeiro de 1994). Islamic Desk Reference. [S.l.]: BRILL. ISBN 9004097384 
  3. Mackey, Sandra (1 de janeiro de 1998). The Iranians: Persia, Islam, and the Soul of a Nation, with a New Afterword by the Author. [S.l.]: Plume Book. ISBN 9780452275638 
  4. a b Exchequer, B. «Um relatório sobre o seminário 'século, Revolução Constitucional Iraniana' em Londres». www.bbc.com (em iraniano). BBCPersian.com. Consultado em 28 de setembro de 2015