Cai-não-cai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Cai-não-cai é um jogo fabricado pela Estrela, lançado no Brasil em agosto de 1976[1] .

Pode ser jogado de 2 a 4 jogadores e é composto de um tubo de acrílico amarelo que é encaixado em uma base, também de acrílico, com um furo no final, onde se encaixa a base. No meio do tubo há diversos furos, onde são colocadas as varetas.

Depois de colocadas as varetas, são colocadas as bolinhas de gude, que ficam presas pelo emaranhado de varetas.

Os jogadores vão retirando as varetas uma de cada vez, tentando evitar que as bolinhas caiam no fundo do tubo. Quem derrubar uma bolinha fica com ela até o final do jogo.

O objetivo do jogo é retirar todas as varetas do tubo, ficando com o menor número de bolinhas. No final do jogo, quando todas as varetas forem retiradas, e todas as bolinhas tiverem caído, cada jogador conta o número de bolinhas que deixou cair. Quem tiver o menor número de bolinhas é o vencedor.

Apesar de ser um jogo bem simples, sempre figurou entre os mais vendidos da Estrela. Também ganhou uma versão do Batman, o homem-morcego de Gotham City[carece de fontes?].

Referências