Caixa de Pandora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Caixa de Pandora é um artefato da mitologia grega, tirada do mito da criação de Pandora, que foi a primeira mulher criada por Zeus. A "caixa" era na verdade um grande jarro dado a Pandora, que continha todos os males do mundo.

Pandora abre o Jarro, deixando escapar todos os males do mundo, menos a "esperança". A esperança pode ser vista como um mal da humanidade, pois traz uma ideia superficial acerca do futuro.

Este artefato aparece na literatura em português como Caixa de Pandora, termo mais utilizado, ou como Jarro de Pandora, utilizado em algumas partes do Brasil.

O principal motivo da criação de Pandora, segundo a mitologia greco-romana, seria de que Prometeu roubou o fogo do monte Olimpo e levou ao mundo humano, contrariando a vontade de Zeus. Pandora foi criada com um único defeito, a curiosidade. Zeus criou a caixa porque sabia que um dia, a vontade de Pandora a levaria a abrir a caixa e libertar o mal ao mundo humano, castigando-os pelo fogo que haviam recebido contra sua vontade.

Mídia[editar | editar código-fonte]

A Caixa de Pandora é sem dúvida, alvo de muito conteúdo em séries e filmes sobre histórias e mitologias de diferentes modos. Ela aparece, notavelmente, no filme Lara Croft como uma gigantesca caixa que possui senhas quase indecifráveis e com espaço para um único ser, e ao invés de ter uma dimensão mundial como a original, ela possui uma dimensão universal e recebe o nome de Caixa de Pandorica ou simplesmente Pandorica. Ela o isola completamente do universo, fazendo seu prisioneiro vivo para sempre, até ser aberta, ele não precisa comer, beber, respirar ou fazer necessidades básicas. Este ser, no entanto, é o portador de todos os males do universo, eis a razão de ser trancado na caixa.

RESUMO

Pandora abre a caixa dada por Zeus e liberta todos os males do mundo menos a esperança,que estava no fundo da caixa.