Campo Ghawar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ghawar está localizado em: Arábia Saudita
Ghawar
Localização do Campo Ghawar, na Arábia Saudita

O Campo Petrolífero Ghawar, ou somente Ghawar (Em árabe: الغوار) é um campo de petróleo situado no Governorato Al-Ahsa, Província Oriental, Arábia Saudita. O campo mede 280 por 30 quilômetros (174 por 19 milhas) e por restes números é de longe o campo petrolífero convencional maior no mundo[1] e responde por mais da metade da produção cumulativa de petróleo da Arábia Saudita.[2] Ghawar pertence e é operado inteiramente pela estatal Saudi Aramco. Relativamente pouca informação técnica está publicamente disponível, pois a empresa e o governo saudita guardam os dados de desempenho do campo e detalhes de produção. A informação disponível é predominantemente histórica (pré-nacionalização), de publicações técnicas incidentais ou anedóticas.

Geologia[editar | editar código-fonte]

Ghawar ocupa um anticlinal acima de um bloco de falha que data do tempo Carbonífero, cerca de 320 milhões de anos atrás. A atividade tectônica cretácea, como a margem nordeste da África começou a afetar o sudoeste da Ásia e reforçou a estrutura. As rochas do reservatório são calcários árabes-D jurássicos com excepcional porosidade (até 35% da rocha em alguns lugares), que tem cerca de 280 pés de espessura e ocorre a 6.000-7.000 pés abaixo da superfície. A rocha geradora é de formação Jurássico Hanifa, um depósito marinho de lama, lodo e cal com material orgânico de 5% (1% a 7% é considerado a boa rocha de fonte do óleo). O selo é um pacote evaporítico de rochas incluindo anidrito impermeável.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Historicamente, Ghawar foi subdividido em cinco áreas de produção, de norte a sul: 'Ain Dar e Shedgum,' Uthmaniyah, Hawiyah e Haradh. O principal oásis de Al-Ahsa e a cidade de Al-Hofuf estão localizados no flanco leste de Ghawar, correspondente à área de produção de Uthmaniyah. Ghawar foi descoberto em 1948 e colocado em operação em 1951. Algumas fontes afirmam que o pico de produção de Ghawar foi atingido em 2005,[1][4] embora esta afirmação seja fortemente contestada pelos operadores do campo.[5]

A Saudi Aramco informou em meados de 2008 que Ghawar havia produzido 48% de suas reservas comprovadas.[6]

Produção[editar | editar código-fonte]

Aproximadamente 60-65% de todo o óleo saudita produzido entre 1948 e 2000 originou-se de Ghawar. A produção acumulada até o início de 2010 superou os 65 bilhões de barris (1,03 × 1010 ).[2] Estima-se que Ghawar produziu cerca de 5 milhões de barris (790 mil m³) de petróleo por dia (6,25% da produção mundial) em 2009.[7]

Ghawar também produz cerca de 2 bilhões de pés cúbicos (57.000.000 m³) de gás natural por dia.[8]

Os operadores estimulam a produção por inundação de água, usando água do mar a uma taxa de cerca de 7 milhões de galões/dia.[9] Diz-se que as inundações de água começaram em 1965.[10] O corte de água foi de cerca de 32% em 2003 e variou de cerca de 27% a 38% de 1993 a 2003.[11] Em 2006, o corte de água de Uthmaniyah Norte foi de cerca de 46%.[12][13]

Reservas[editar | editar código-fonte]

A Agência Internacional de Energia, em seu relatório mundial de energia de 2008, afirmou que a produção de petróleo de Ghawar atingiu 66 bilhões de barris em 2007 e que as reservas remanescentes são da ordem de 74 bilhões de barris.[7]

Matthew Simmons, em seu livro de 2005, Crepúsculo no Deserto, sugeriu que a produção do campo de Ghawar e da Arábia Saudita pode em breve atingir seu pico.[14]

Na década de 1970, o campo foi avaliado para ter 170 bilhões de barris (27 km³) de óleo original no lugar (OOIP), com cerca de 60 bilhões de barris (9,5 km³) recuperáveis. A segunda previsão, pelo menos, foi subestimada, já que o valor da produção já foi excedido.[14]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Louise Durham (janeiro de 2005). «The Elephant of All Elephants». AAPG Explorer. Arquivado do original em 2 de Março de 2006 
  2. a b «The Ghawar Oil Field, Saudi Arabia» (em inglês). Gregcroft.com. Consultado em 17 de Novembro de 2016 
  3. Finding Ghawar: Elephant Hid in Desert By Rasoul Sorkhab, AAPG Explorer, Junho de 2011
  4. Glenn Morton (24 de julho de 2004). «Trouble in the World's Largest Oil Field-Ghawar» (em inglês). Energy Bulletin 
  5. Donald Coxe (31 de março de 2005). «Has Ghawar truly peaked?» (em inglês) 
  6. «What Part Of Hydraulic Fracturing Do You Not Understand? A Race Between The U.S. And Saudi Arabia» (em inglês). 17 de março de 2016 
  7. a b The King of Giant Fields by Rasoul Sorkhab, GeoExPro Issue 4, Volume 7, 2010
  8. «Top Ten Highest Producing Oil Fields» (em inglês). Oil Patch Asia. Consultado em 17 de Novembro de 2016 
  9. Saudi Arabia's Giant Ghawar Oil Field, Global Resources News
  10. Ghawar Oil Field: Saudi Arabia's Oil Future by Justin Williams, 19 de Fevereiro de 2013
  11. Source: A.M. Afifi, 2004 AAPG Distinguished Lecture, chart reproduced in Rasoul Sorkhab, 2010.
  12. Peak oil isn’t dead: An interview with Chris Nelder
  13. Tech Talk - Current Oil Production and the Future of Ghawar
  14. a b Simmons, Matthew (2005). Twilight in the Desert - The coming Saudi oil shock and the world economy. (em inglês). Hoboken, NJ: John Wiley & Sons. ISBN 0-471-73876-X