Capela de Santo Antônio do Pobre Diabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Capela do Pobre Diabo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Capela do Pobre Diabo, situada na rua Borba, guarda uma das muitas histórias da colonização do bairro da Cachoeirinha, em Manaus.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1882, Antônio José da Costa, um comerciante português, dono de uma quitanda na rua da Instalação no Centro da cidade, mandou fazer uma tabuleta que representava um homem coberto de trapos com os dizeres: "Ao pobre diabo". Antônio sempre dizia que não vendia fiado por ser um pobre comerciante, então a população começou a apelidá-lo de "pobre diabo". Em 1897 se casou com Cordolina Rosa de Viterbo e foram morar próximo a praça Floriano Peixoto onde montaram uma casa de diversões. Com o tempo, Antônio adoeceu. Sua mulher, que era devota de Santo Antônio, fez uma promessa de construir uma capela em louvor ao santo pedindo a cura do marido. Antônio ficou curado e Cordolina mandando construir a capela para pagar a promessa ao santo. Hoje é conhecida pela população como "Capela do Pobre Diabo". A igreja comporta em média 20 pessoas. Embora sendo do século passado, não se sabe ao certo a data de sua inauguração. A data mais aproximada é de 28 de novembro de 1897. Na administração de Arthur Reis, a Assembléia Legislativa aprovou a Lei Estadual de nº 8, de 28 de junho de 1965, autorizando o governo a considerar a igreja de Santo Antônio como parte do monumento histórico da cidade e do bairro da Cachoeirinha. Ela se mantém constantemente fechada, sendo aberta eventualmente para turistas e nas comemorações do dia de Santo Antônio.