Captura de Cascais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Captura de Cascais
Guerra da Sucessão Portuguesa
Cascais L1190746 (25116210212).jpg
Torre de Santo António de Cascais, Cidadela de Cascais
Local Cascais, Portugal
Desfecho Vitória espanhola
Beligerantes
Espanha Portugal Portugal leal a Filipe de Espanha Portugal Portugal leal ao Prior do Crato
Comandantes
Espanha Duque de Alba Portugal Diogo de Meneses
Forças
?,000 infantaria
??? cavalaria
3 peças de artilharia
9,000 infantaria
400 cavalaria
2 peças de artilharia

A Captura de Cascais foi um acontecimento ocorrido durante Guerra da Sucessão Portuguesa no contexto da Crise de Sucessão Portuguesa de 1580. As forças espanholas comandadas pelo Duque de Alba desembarcaram em Cascais e encontram pela frente um pequeno foco de resistência. Era um pequeno contingente comandado por D. Diogo de Meneses partidário de D. António. Lutaram heroicamente mas o número das forças espanholas eram em maior número e foram derrotados. D. Diogo de Meneses foi capturado e foi decapitado (ou enforcado) com Henrique Pereira de Lacerda por ordem do Duque de Alba[1].

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em sua homenagem, a 17 de abril de 2010 foi inaugurada no exterior da Cidadela de Cascais uma estátua sua, de corpo inteiro, em bronze, da autoria de Augusto Gil:

D. Diogo de Meneses, Cidadela de Cascais (bronze de Augusto Gil, 2010).
"26.º Governador da Índia chamado a organizar a defesa em Portugal contra a entrada do exército espanhol em território nacional, primeiro no Alentejo e depois em Cascais, tendo sido executado (na fortificação à data existente na Cidadela de Cascais) pelos invasores por não se ter entregue nem rendido."[2]

Referências

  1. «Fórum da Defesa». 23 de junho de 2019 
  2. [1]