Carandá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde junho de 2016). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCarandá
Copernicia alba Jardín botánico de Valencia 01.JPG
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Arecales
Família: Arecaceae
Género: Copernica
Espécie: C. australis
Nome binomial
Copernicia australis
Brcc.

O Carandá (Copernicia australis Becc.; Arecaceae ou Palmae) é uma planta da família das arecáceas, nativa da ecorregião de Chaco na Bolívia, Paraguai, Brasil (nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) e Argentina (especialmente na província de Formosa). De rápida germinação e abundante na forma silvestre, se aproveita pouco em jardinagem frente a outras palmeiras da região. É a mais resistente ao frio das espécies de Copernicia.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo "Carandá" provém do tupi karã'dá. [1]

Características[editar | editar código-fonte]

C. alba é uma palmeira que atinge até 20 m de altura, com um espique de 40 cm de diâmetro máximo, raramente bifurcado, coberto de uma crosta de cor cinza e de superfície lisa ou marcada pelas vestígios dos galhos antigos nas plantas adultas. O sistema radicular é extenso e profundo. A madeira é resistente e densa (até 0,92 de densidade relativa em exemplares adultos). Mostra folhas palmadas, em forma de leque, agrupadas no ápice do talo, com o limbo de uns 70 cm de largura e o ráquis muito mais largo que isso, lenhoso e dotado de espinhos negros, duras e curvas; são palmatisetas, persistentes, com entre 30 e 50 folíolos lineares, cada um em torno de 2 cm de extensão e cor ligeiramente azulado. Nos exemplares adultos estão cobertos de uma cera similar a da carnaúba.

As flores formam inflorescências em espádices de cor amarela e quase 2 m de largura, formado por flores hermafroditas em torno de 4 mm de largura dispostos em espiral. Cada flor possui três ovários, um dos quais se desenvolverá o fruto, uma baga globosa de consistência pulposa e cor escura, monoseminada. A semente é ovóide, lisa, de cor castanho claro e até 12 mm de largura.

Habitat[editar | editar código-fonte]

C. alba está adaptada a um clima de monções, con períodos de seca alternando com alagamentos. Requer muito sol, mas tolera aceitavelmente bem o frio uma vez que tenha germinado no lugar. Divide o habitat com a pinha (Syagrus romanzoffiana), Trithrinax campestris, Trithrinax biflabellata e Acrocomia totai.

Uso[editar | editar código-fonte]

O tronco dos exemplares adultos se usa nas indústria madeireira para construção de postes para linhas telefônicas e elétricas.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Libro del Árbol: Especies Forestales Indígenes de la Argentina de Aplicación Industrial, Buenos Aires: Celulosa Argentina S. A., 1975

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Carandá

Copernicia australis

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.348