Carta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Carta (desambiguação).
Carta

Carta, missiva (latim), ou ainda epístola (grego), é o termo que descreve um manuscrito, um datiloscrito ou um impresso destinado a estabelecer uma comunicação interpessoal escrita, entre pessoas e/ou organizações, de cunho particular.[1]

A legislação brasileira, em sua regulamentação dos serviços postais, define carta como: "objeto de correspondência, com ou sem envoltório, sob a forma de comunicação escrita, de natureza administrativa, social, comercial, ou qualquer outra, que contenha informação de interesse específico do destinatário".[2]

A epístola foi a principal forma de comunicação à distância desde a invenção da escrita, mas sofreu algum recuo em meados do século XX, com a popularização da telefonia. Conheceu muitos suportes, em especial o papiro, o pergaminho, as folhas de árvore, até se consolidar o uso do papel a partir do séc. XV e mais recentemente o suporte eletrônico, desde finais do século XX. Atualmente a carta em papel vem sendo substituída pelo correio eletrônico (e-mail), mas ainda há pessoas que pelo simples prazer de trocar correspondências físicas preferem utilizar o objeto carta em papel.

A circulação da carta exigiu no passado a criação de um serviço postal permanente, público ou privado, que conheceu um notável desenvolvimento já desde a Roma antiga. Em 1874 foi criada a União Postal Universal para coordenar as relações entre os vários serviços nacionais. A UPU foi a segunda organização global a surgir no mundo contemporâneo.

Nos primórdios da entrega das cartas em papel quem pagava a postagem era o destinatário e isso só se alterou com a criação dos selos quando se passou a, previamente, o remetente colocar na sobrecarta (envelope) a quantidade de selos correspondente ao porte (valor da tarifa de serviço), garantido assim a entrega da carta ou a sua restituição no caso de não ser encontrado o destinatário.

Como gênero textual, a carta é um meio de comunicação escrita que segue uma estrutura mais rígida que um bilhete, ainda que simplificada em comparação a outros meios de comunicação escrita. Normalmente compõe-se de local, data, destinatário, saudação, corpo, despedida e assinatura.[3] De acordo com seu destinatário e propósito, pode ser classificada como carta pessoal, carta comercial, carta oficial (também chamada ofício), carta profissional, entre outras.

Alguns gêneros usam a forma epistolar com fins literários ou jornalísticos e não privados, como a carta do leitor, a carta aberta, o poema em forma de carta, o romance epistolar, etc.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário tem o verbete carta.

Referências

  1. Roberto Costa, Sérgio (2009). Dicionário de Gêneros Textuais. [S.l.: s.n.] ISBN 9788575263174 
  2. «Lei nº 6538, de 22 de junho de 1978.». República Federativa do Brasil. Consultado em 25 de novembro de 2015. 
  3. Wilma Maria Sampaio Lima (2009). «O HOMEM É UM ANIMAL QUE ESCREVE CARTAS: recepção do gênero carta por alunos do Ensino Fundamental.» (PDF). Universidade Presbiteriana Mackenzie. Consultado em 25 de novembro de 2015.