Carta 77

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Monumento aos signatários da carta, composto de um alto poste com uma série de cartazes a diversas alturas e com diferentes orientações

A Carta 77 foi uma declaração que pedia aos dirigentes comunistas da Checoslováquia que respeitassem não só as suas próprias leis, mas também os princípios de direitos humanos declarados nos Acordos de Helsínquia, dos quais o governo checo era parte. Foi dada a conhecer em 6 de janeiro de 1977 e foi assinada por 241 personalidades da vida cultural checoslovaca[1]. Difundir tal manifesto foi considerado um crime pelo regime[2].

Em 1968, o governo comunista da Checoslováquia tinha-se proposto desenvolver um "socialismo mais humano"; no entanto, tal não foi apreciado pela União Soviética, que decidiu levar a cabo a invasão da Checoslováquia em agosto de 1968. Durante o governo de Gustáv Husák foram presos, em dezembro de 1976, os membros da banda de rock psicadélico Plastic People of the Universe por "perturbar a ordem pública", o que motivou os signatários, um grupo de artistas, escritores e músicos, a pedir a sua liberdade[3].

A Carta 77, cujo primeiro porta-voz foi Václav Havel, e na qual participou o fenomenólogo Jan Patocka, foi o primeiro núcleo de resistência organizada contra o regime, seguido por "não marxistas" e gente da chamada "zona cinzenta", ou gente das estruturas oficiais, e era composta por uma multidão de pessoas que estavam contra o regime mas que não manifestavam abertamente a sua oposição por receio de perder o seu emprego[4].

Os efeitos da Carta 77 foram vistos posteriormente: Havel foi preso[5], mas a pacífica Revolução de Veludo, alguns anos depois, teve o apoio da maior parte da sociedade, e no outono de 1989 o regime totalitário da Checoslováquia cairia, e Václav Havel seria eleito Presidente da República em 29 de dezembro de 1989[6].

Referências

  1. Tamkin, Emily. «In Charter 77, Czech Dissidents Charted New Territory» (em inglês). Consultado em 7 de outubro de 2019 
  2. www.praguecoldwar.cz. «Pražský web pro studenou válku: Stanovisko Generálního prokurátora ČSSR (Opinião do Fiscal Geral da Checoslováquia, Presidente do Supremo Tribunal e do Ministério da Justiça acerca da 'Carta 77'». Consultado em 7 de outubro de 2019 
  3. chnm.gmu.edu. «Declaration of Charter 77 | Making the History of 1989». Consultado em 7 de outubro de 2019 
  4. Morning Prague (5 de outubro de 2019). «Václav Havel Was Born 83 Years Ago» (em inglês). Consultado em 7 de outubro de 2019 
  5. Rádio Prague International. «Charter 77: An original signatory on Communist Czechoslovakia's most important protest movement» (em inglês). Consultado em 7 de outubro de 2019 
  6. spectator.sme.sk. «A. Pižurný on the 1989 Revolution: I did not want the world to be split» (em inglês). Consultado em 7 de outubro de 2019 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Texto da Carta 77 no Wikisource (checo)
Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Texto da Carta 77 no Wikisource (inglês)