Carta 08

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Carta 08 é um manifesto assinado por 303 intelectuais e ativistas dos direitos humanos, de múltiplas profissões (académicos, advogados, jornalistas e artistas) - e depois por outras oito mil pessoas[1] - para promover a reforma política e a democratização na República Popular da China.[2]

No texto exige-se que o governo chinês se empenhe em promover ou autorizar o multipartidarismo, um sistema judicial independente, e liberdade de religião, associação e imprensa.

Para um documento de origem chinesa, ele não é comum ao demandar liberdade de expressão e eleições livres. Foi publicado em 10 de dezembro de 2008, no 60.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, e seu nome faz referência à Carta 77, publicada por dissidentes da Tchecoslováquia.[4]

Liu Xiaobo terá sido um dos principais redatores da Carta 08. Preso em dezembro de 2009, e em vias de condenação por 11 anos, foi galardoado com o Prémio Nobel da Paz de 2010.

Referências

  1. publico.pt. «Pequem assume prisão de opositor influente». Consultado em 8-10-2010. 
  2. «Over 5000 people have signed the Charter 08 (《零八宪章》签名已超过5000人)» Boxun [S.l.] 17 December 2008. Consultado em 2008-12-15. 
  3. «Charter 08 (translated from the Chinese by Human Rights in China)» Human Rights in China [S.l.] Consultado em 2008-12-10. 
  4. Spencer, Richard (9 December 2008). «Chinese dissidents emulate anti-Soviet heroes with Charter 08» Telegraph.co.uk [S.l.] Consultado em 2008-12-10. 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carta 08