Gustáv Husák

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gustáv Husák
Nascimento Augustín Husák
10 de janeiro de 1913
Dúbravka (Bratislava) (Áustria-Hungria)
Morte 18 de novembro de 1991 (78 anos)
Bratislava
Sepultamento Dúbravka (Bratislava)
Cidadania Checoslováquia, República Eslovaca
Etnia eslovacos
Cônjuge Magda Lokvencová, Viera Husáková
Filho(s) Vladimír Husák, Ján Husák
Alma mater
  • Faculdade de Direito da Universidade Comenius em Bratislava
Ocupação político, advogado, jurista,
Prêmios
Religião ateísmo
Assinatura
Gustav Husak signature.svg

Gustáv Husák (Dúbravka, 10 de Janeiro de 1913Bratislava, 18 de Novembro de 1991) foi um político da Eslováquia e Presidente da Tchecoslováquia,[1][2] sendo por longa data Secretário Geral do Partido Comunista da Tchecoslováquia (1969-1987). Entre 1954 e 1960, ele passou mais de seis anos na prisão, vítima dum expurgo stalinista e um julgamento e processo-show em 1950. Ele governou no período conhecido por normalização, após a Primavera de Praga, e recebeu apoio externo de Erich Honecker, da República Democrática Alemã, e Leonid Brejnev, da União Soviética. No outono de 1987, perdeu apoio do Politburo tchecoslovaco e foi forçado a renunciar pela liderança do partido, sucedido por Miloš Jakeš.

Referências

  1. Mastny, Vojtech; Byrne, Malcolm (2005). A Cardboard Castle?: An Inside History of the Warsaw Pact, 1955-1991 (em inglês). Budapeste: Central European University Press. p. 687. ISBN 9786155053696 
  2. Humphreys, Rob (2002). The Rough Guide to Prague (em inglês). Londres: Rough Guides. p. 239. ISBN 9781858289007 

Precedido por
Alexander Dubček
Primeiro Secretário do Partido Comunista da Checoslováquia
1969 - 1987
Sucedido por
Miloš Jakeš
Precedido por
Ludvík Svoboda
Presidente da Checoslováquia
1975 - 1989
Sucedido por
Václav Havel