Carta Social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A carta social[1] é uma forma de correspondência específica do Brasil. O início da carta social foi no período do governo Fernando Henrique Cardoso, com a finalidade de proporcionar às pessoas de menor nível econômico o direito de corresponder-se com pessoas (parentes, amigos etc.) em qualquer parte do país [2]. Inicialmente qualquer pessoa física podia se utilizar do serviço, que após 12 de março de 2012, passou a ser exclusivo para os beneficiários do bolsa família do governo federal.[3]

Seu valor é de apenas R$0,01 (um centavo de real), mas para obter tal direito o cidadão deve cumprir as seguintes regras:

  • Permitido apenas para pessoas físicas participantes do Programa Bolsa Família [4] ou seus dependentes.
  • Cada envelope deve ser escrita à mão e não pode pesar mais de 10 (dez) gramas.
  • Podem ser postadas no máximo cinco cartas sociais por remetente por dia.
  • Deve estar escrito no envelope: "carta social".
  • Só é válida em território nacional.

Referências

  1. «Correios - Carta Social.». 
  2. «Portaria nº 245, de 9 de outubro de 1995 - Institui as modalidades de Carta, no âmbito nacional brasileiro.» (PDF). 
  3. «Carta Social tem nova regra». Blog dos Correios. Consultado em 15-12-2012. 
  4. [1] Tarifa R$ 0,01 para Carta Social será restrita a beneficiários do Bolsa Família