Cassiano Sepúlveda Teixeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cassiano Sepúlveda Teixeira
Nascimento 1823
Morte 1901 (78 anos)
Cidadania Portugal
Alma mater Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra
Ocupação juiz

Cassiano Sepúlveda Teixeira (Condeixa-a-Nova, 1823Lisboa, Janeiro de 1901) foi um jurista, formado em Direito pela Universidade de Coimbra, magistrado e político. Foi governador civil do Distrito de Angra do Heroísmo (1858 a 1859), deputado às Cortes (1861 a 1864) e 25.º presidente do Tribunal da Relação de Lisboa (1890).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formou-se em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra no ano de 1843, ingressando seguidamente na car­reira da magistratura.

Ligado à vida política, foi nomeado governador civil do Distrito de Angra do Heroísmo a 31 de Maio de 1858, tomado posse em Julho daquele ano. Foi exonerado por Decreto de 6 de Abril de 1859, mas exerceu o cargo até 21 de Maio de 1859, data em que foi substituído e abandonou a ilha Terceira.

Foi eleito deputado para a legislatura de 1861 a 1864.

Em 1869, foi nomeado juiz de 1.ª classe de Direito de primeira instância e colocado na ilha da Madeira, onde a 31 de Julho de 1872 casou com Ana Emília de Ornelas Frazão na paróquia de São Pedro do Funchal.

Seguidamente exerceu funções de juiz nas comarcas de Ovar, Soure e Silves (1876). Ascendeu à segunda instância em 1879 e em 1881 já integrava o Tribunal da Relação de Lisboa, tribunal de que foi nomeado presidente por Decreto de 30 de Junho de 1890.

Tomou posse do lugar de presidente do Tribunal da relação de Lisboa a 9 de Julho do mesmo ano de 1890. Terminou a carreira como juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (1890).

Quando faleceu em Janeiro de 1901 tinha recebido a comenda da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  • Alfredo Luís Campos, Memória da Visita Régia à Ilha Terceira, Imprensa Municipal, Angra do Heroísmo, 1903.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]