Catedral de São Martinho (Ypres)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Catedral de São Martinho
Catedral de São Martinho
Estilo dominante Gótico
Início da construção 1230
Fim da construção 1370
Religião Catolicismo romano
Diocese Bruges
Geografia
País  Bélgica
Cidade Ypres
Coordenadas 50° 51' 6.5" N 2° 53' 6" O

Catedral de São Martinho (em neerlandês: Sint-Maartenskathedraal), também chamada de Igreja de São Martinho (em neerlandês: Sint-Maartenskerk), é uma igreja e antiga catedral em Ypres, na Bélgica.[1][2] Foi uma catedral e a sede da antiga diocese de Ypres, de 1561 a 1801, e ainda é comumente referida como tal. Com 102 metros de altura, ele está entre os edifícios mais altos na Bélgica.

História[editar | editar código-fonte]

A construção da igreja iniciou-se em 1230, e foi terminada em 1370. Não havia anteriormente uma igreja românica na área, que datem do século X ou XI.

A igreja foi originalmente parte da diocese de Thérouanne, que tinha sido estabelecido no século VII ou VIII. Em 1553, o imperador Carlos V cercou a cidade de Thérouanne, um enclave francês no Sacro Império Romano-Germânico, em vingança por uma derrota para o exército francês em Metz. Depois que capturou a cidade, ele a arrasou. Em 1557, como resultado da guerra, a diocese foi abolida. Isto levou a uma reforma administrativa no Concílio de Trento, e o bispado de Thérouanne foi dividido entre a diocese de Saint-Omer, a diocese de Bolonha e a diocese de Ypres. Com isso, a igreja de São Martinho foi elevada a catedral, pois tornou-se a sede da nova diocese.

Após a Concordata de 1801 entre Napoleão e o papa Pio VII, Ypres foi incorporada à diocese de Gante e São Martinho perdeu o seu status como uma catedral. Como muitos ex-catedrais, é muitas vezes referida como uma catedral por moradores.

Ela foi fortemente danificada durante a Primeira Guerra Mundial. Posteriormente (1922-1930) a ruína foi limpa e a igreja foi inteiramente reconstruída seguindo os planos originais, embora a torre fosse construída maior do que a original.

Túmulos[editar | editar código-fonte]

Cornelius Jansen, o pai do movimento teológico Jansenista, foi bispo de Ipres de 1635 a 1638. Ele está enterrado na catedral. O conde Roberto III de Flandres, popularmente conhecido como O Leão da Flandres, também está enterrado na catedral.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (J. Termote, “De Sint-Maartenskerk en de vroegste stadsontwikkeling van Ieper”, in D. Masure & K. De Lille (editors), De Sint-Maartenskathedraal te Ieper, 60 jaar kerkwijding 1930-1990, Ypres, 1990
  2. Frommer's Brussels & Bruges with Ghent & Antwerp George McDonald - 2005 - Page 167 "Sint-Martenskathedraal (St. Martin's Cathedral; Ypres),"