Caunas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kaunas
Escudo de Caunas
País  Lituânia
Condado Kaunas
Coordenadas
 - Latitude:
 - Longitude

54° 54' Norte
25° 32' Este
Superfície ? km²
População
 - Total (2005)
 - Densidade

361 274 hab.
 ? hab./km²
Kaunas city in Lithuania.svg
Cidade de Kaunas

Kaunas[1][2] (em lituano: Kaunas) é a segunda maior cidade da Lituânia e antiga capital temporária do país. Situa-se na confluência dos dois maiores rios lituanos, o Nemunas e o Neris, e próxima à Laguna de Kaunas, a maior do país. Kaunas era a maior cidade e o centro do condado no Ducado de Trakai, do Grao - Ducado da Lituania desde 1413. No Imperio Russo, era a capital de 1843 a 1915.

Durante o periodo entre guerras, a cidade de Kaunas serviu como Capital interina da Lituania, quando a cidade de Vilnius foi apreendida pela Polonia, entre 1920 e 1933. Durante aquele periodo, Kaunas, era celebrada por sua rica vida academica e cultural, moda, construcao da sem contar Art Deco, predios de estilo arquitetonico do Romantismo Nacional Lituano, assim como moveis populares. O design de interior da epoca, e uma ampla cultura de cafe. A arquitetura da cidade entre - guerras, esta considerada entre os mais finos exemplos da Art Deco Europeia, e recebeu a Licença de Patrimonio Europeu. Isto contribuiu para Kaunas ser nomeada como a primeira cidade na Europa Central e do Leste, a ser designada - Cidade do Design UNESCO. Kaunas foi escolhida para ser a Capital Cultural da Europa em 2022 , junto com Esch-sur-Alzette, Luxemburgo.

A cidade tambem e a capital do Condado de Kaunas, e o local onde se encontra Municipalidade da Cidade de Kaunas e Municipalidade do Distrito de Kaunas. Tambem e o local onde se encontra a Arquidiocese Catolica Romana de Kaunas. Kaunas se localiza na juncao dos dois maiores rios da Lituania, o Nemunas e o Neris, e esta proxima ao Reservatorio de Kaunas, o maior corpo de agua de toda a Lituania.

Como definida pela Eurostat, a populacao da area urbana funcional de Kaunas, que vai alem dos limites da cidade, esta estimada em 383. 764 ( ano de 2017). Enquanto de acordo com as estatísticas do fundo de seguro de saúde territorial de Kaunas, existe 437. 283 habitantes permanentes ( ano de 2018) na Cidade de Kaunas e nos municipios do distrito de Kaunas.

Nomes[editar | editar código-fonte]

O nome da cidade e de origem lituana e a maior probabilidade e que derive de um nome pessoal. Antes da independência do país, a cidade era mais conhecida como Kovno, a forma tradicional de seu nome nas línguas eslavas. Seu nome em polonês é Kowno. A forma tradicional em russo é Ковно, apesar de Каунас também ser usada desde 1940. Em iídiche seu nome é Kovne (קאָװנע), enquanto em alemão é Kowno e Kauen.

Lendas[editar | editar código-fonte]

Uma das lendas conta que Kaunas foi fundada por Romanos na Antiguidade. O líder do grupo de Romanos,era Palemon, diz a lenda,que ele tinha 3 filhos: Barcus,Kunas e Sperus. Por sentir medo do imperador, Neron, Palemon fugiu de Roma. Partiu com seus filhos e parentes para a Lituânia. Com a morte dele, seus 3 filhos dividiram entre eles todas as terras da Lituânia. Kunas ficou com as terras onde hoje se encontra a cidade de Kaunas. Kunas construiu um castelo próximo da confluência dos rios Nemunas e Neris. E a cidade passou a ser chamada de Kaunas, por causa do nome dele.

História[editar | editar código-fonte]

No local onde hoje é o centro histórico de Kaunas, na confluência dos rios Nemunas e Neris, foi estabelecido um assentamento por volta do século X a.C.. De acordo com uma lenda, a cidade propriamente dita foi fundada em 1030, porém foi mencionada pela primeria vez em textos no ano 1361. No século XIII uma muralha foi construída para protegê-la dos constantes ataques dos Cavaleiros Teutônicos. Em 1362, a cidade foi capturada pelos Cavaleiros, que destruíram o seu castelo.

Castelo de Kaunas

Em 1408 a cidade teve garantidos os direitos de Magdeburgo por Vytautas o Grande. O castelo foi reconstruído no começo do século XV. A cidade começou a ganhar destaque, uma vez que localizava-se na intersecção de rotas comerciais e era um porto fluvial. Em 1441, Kaunas juntou-se à Liga Hanseática, e escritórios comerciais da Hansa foram abertos. Por volta do século XVI a cidade tinha uma escola pública, um hospital, e uma farmácia, e era uma das mais organizadas cidades do Grão-Ducado da Lituânia.

Igreja de São Jorge (1487).

Os séculos XVII e XVIII foram ruins para a cidade. Em 1665, o exército russo atacou-a diversas vezes, e em 1701 Caunas foi ocupada pelos suecos. A peste negra atingiu a cidade em 1657 e 1708, e incêndios destruíram partes da cidade em 1731 e 1732. Depois da última partilha da Polônia em 1795, a cidade foi ocupada pela Rússia. Durante a invasão napoleônica da Rússia em 1812, o Grande Exército de Napoleão Bonaparte passou duas vezes por Kaunas, em ambas devastando a cidade.

Igreja e monastério de Pažaislis

Depois da última partilha da Polônia, Caunas foi um dos centros do "Levante de Novembro" (1830-1831) e o "Levante de Janeiro" (1863-1864). Para desencorajar a população local, as autoridades russas deixaram uma grande guarnição militar na cidade. A fortificação militar russa daquela época ainda sobrevive pela cidade.

Casa de Perkūnas.

Em 1862 uma ferrovia conectando o Império Russo e a Alemanha foi construída, tornando Kaunas um importante entroncamento ferroviário. Em 1898 a primeira usina elétrica começou a funcionar. Depois que Vilnius foi ocupada pelos bolcheviques russos em 1919, o governo da República da Lituânia estabeleceu-se em Kaunas. Posteriormente Vilnius foi capturada pelos poloneses e se tornou parte do país, tornando-se Caunas capital interina, uma posição que manteve até 1940, após a Polônia ser partilhada entre a Alemanha Nazista e a União Soviética. Josef Stalin devolveu Vilnius à Lituânia, e o processo de mudança da capital foi iniciado. Antes que fosse concluído, porém, o país inteiro foi ocupado pelos soviéticos.

No período entre-guerras, as indústrias prosperaram em Kaunas, e ela se tornou na época a maior cidade lituana. Durante a gestão do prefeito Jonas Vileišis (1921-1931) Kaunas cresceu rapidamente e se tornou uma cidade moderna. Um sistema de água e esgotos, que custou mais de 15 milhões de Litas foi inaugurado; a cidade expandiu-se de 18 para 40 km²; mais de 2500 prédios foram construídos, incluindo 3 modernas pontes sobre os rios Neris e Nemunas. Todas as ruas da cidade foram pavimentadas, os transportes de tração animal foram substituídos por ônibus modernos, novos subúrbios foram planejados e construídos (especialmente na região de Žaliakalnis), e foram criados novos parques e praças. As bases de um sistema de seguro social foram estabelecidas, três novas escolas e novas bibliotecas públicas foram concluídas, incluindo a Biblioteca Vincas Kudirka. Vileišis manteve muitos contatos com várias cidades europeias, e como resultado Kaunas foi uma ativa participante na vida urbana européia.

Em 1940 ela foi anexada pela União Soviética como parte da república socialista soviética da Lituânia.

Após a Segunda Guerra Mundial Kaunas tornou-se a principal cidade industrial lituana - ela produziu cerca de 1/4 da produção industrial lituana.

Após a proclamação da independência lituana em 1991, os soviéticos tentaram neutralizar a rebelião insuflada nos transmissores de rádio e televisão em Sitkūnai, que eram uma parte crítica da mídia independente do país. Os transmissores foram defendidos por cidadãos de Kaunas.

Referências

  1. Correia, Paulo (Outono de 2017). «Lituânia — ficha do país» (PDF). a folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias. N.º 55. pp. 34–37. Consultado em 17 de outubro de 2018 
  2. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Caunas