Cerol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cerol, cortante e preparo são nomes atribuídos a uma mistura de cola de sapateiro com vidro moído (ou limalha de ferro ou pó de quartzo) que é aplicada em linhas de papagaios (também conhecidos como pipas) para cortar as linhas de outros papagaios no ar, numa espécie de desafio com finalidade recreativa.[1] O cerol é colocado diretamente na linha que será usada para empinar a pipa. A cola serve como aglomerante, enquanto o pó de vidro ou ferro serve como abrasivo. O resultado é uma linha extremamente cortante, que pode trazer riscos (inclusive de morte) para quem aplica e para quem usa a linha com cerol. Além disso, as linhas com cerol trazem riscos para a vida selvagem (em especial pássaros), para pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas de carros conversíveis. No Brasil, as atividades envolvendo a substância têm seu ápice nos meses de Janeiro, Fevereiro, Junho, Julho e Dezembro, que correspondem aos períodos de férias escolares, onde é bem maior a realização de disputas entre as crianças e adolescentes para ver quem consegue cortar a linha da pipa do outro.

Composição[editar | editar código-fonte]

O cerol tradicional é uma mistura de pó de vidro (normalmente de bulbos de lâmpadas) com cola, porém existem também varias modificações do cerol. Uma delas é substituir o vidro por pó de ferro, que é facilmente adquirido em serralherias. Por causa da presença do ferro, as linhas impregnadas com esta variante de cerol conduzem a eletricidade, bastando um único contato da linha com os fios de alta tensão para que a pessoa seja eletrocutada. Mesmo sendo perigosa, a mistura com pó de ferro ainda é utilizada, porém em menor quantidade de que a mistura feita com vidro.

Acidentes[editar | editar código-fonte]

Muitos acidentes fatais ocorrem com motociclistas que passam por áreas onde crianças e adolescentes empinam papagaios. Geralmente, nos casos fatais, é o pescoço do motociclista ou pedestre que entra em contato com a linha de pipa com cerol. São, também, vítimas do cerol: aeronaves, pedestres,[2] ciclistas, motociclistas[3] paraquedistas, skatistas e outros. Atualmente, em alguns municípios brasileiros, existem leis que proíbem o seu uso e venda. O vendedor de cerol pode ser preso, além de pagar multa.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 384.
  2. Terra Notícias: Pipa com cerol mata menino de 9 anos no Rio
  3. Linha com cerol mata mulher em estrada no interior de SP