Chéri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chéri
Autor(es) Colette
Idioma Francês
País  França
Género Romance
Editora Calmann-Lévy
Lançamento 1920
Edição portuguesa
Tradução José Saramago
Editora Estúdio Cor
Lançamento 1960
Edição brasileira
Tradução Maria de Lourdes Teixeira
Editora Difusão Europeia do Livro
Lançamento 1956
Cronologia
La Fin de Chéri

Chéri é um romance de Colette publicado em França em 1920.

Chéri ("querido", em francês) é como todos conhecem o personagem do título do romance, excepto a sua mulher, que o trata pelo seu nome verdadeiro, Fred Peloux. Chéri é um jovem adulto mimado por uma cortesã madura já retirada, de nome Léa. Nesta obra original, Colette inverte o estereótipo e apresenta-nos um homem como centro das atenções e do desejo, pela sua juventude e beleza. Chéri foi seguido de uma sequela, La Fin de Chéri, publicado em 1926, onde a força interior de Léa é contrastada com a fragilidade e o declínio de Chéri, num acenar de Colette aos ideais feministas.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Chéri foi o jovem amante da cortesã Léa de Lonval nos últimos 6 anos (no início do romance ele tem 25 anos e ela 49). Os dois acreditam que a sua relação é puramente de prazer, ela por ter um jovem amante fogoso a quem ensinou os truques do amor e da vida, ele por poder desfrutar de uma mulher experiente e poderosa. Só quando Chéri, sobre pressão da mãe, casa com uma rapariga de boas famílias, é que que dois percebem que é mais que luxúria o que os une. Passam 6 meses de infelicidade, tentando esquecer e seguir com a sua nova vida, mas não conseguem e Chéri desesperado, volta abruptamente a casa Léa, confessando o seu amor e atirando-se para os seus braços e para uma noite de paixão. Na manhã seguinte Léa planeia já a sua nova vida com Chéri quando se apercebe que ele está diferente, que cresceu. Sentindo que, com a diferença de idades, pode estar a comprometer o futuro do seu amado, Chéri liberta-o e encoraja-o a regressar a casa e seguir com a sua vida de casado.

Adaptações[editar | editar código-fonte]

O romance foi adaptado a bailado, estreado no Festival de Edimburgo em Setembro de 1980. O bailado foi coreografado por Peter Darrell com música composta por David Earl. Na estreia foi dançado pelo Scottish Ballet, com os papéis de Léa e Chéri interpretados por Patrick Bissell and Galina Samsova. Esta coreografia regressou ao palco em 1989, dançado pelo Hong Kong Ballet.[1]

Chéri foi adaptado duas vezes para cinema, em 1950 e 2009, e também duas vezes para televisão, em 1962 e 1973.

Em 2009 estava em curso a adaptação para musical.

Referências

  1. «David Earl as composer». Consultado em 13 de junho de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]