Christie's

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Christie's
Ramo americano da Christie's no Rockefeller Center, em Nova Iorque
Indústria Arte, leilões
Fundação 1766
Sede Londres,  Reino Unido
Locais Mundo
Presidente François-Henri Pinault
Produtos Pintura, arte moderna, artes plásticas, pop art
Parentesco Groupe Artémis
Página oficial http://www.christies.com/
Christie's sala de leilão - Londres, 1808

A Christie's, fundada em 1766 por James Christie, é uma das empresas de arte mais importantes do mundo, com vendas em 2015 que totalizaram £ 4,8 bilhões / $ 7,4 bilhões.[1] Christie's conseguiu criar uma rápida reputação entre as casas leiloeiras britânicas, nos anos seguintes à Revolução Francesa no que respeita ao comercio de obras de arte.

Desde Vincent Van Gogh, Pablo Picasso, Leonardo da Vinci, Rembrandt, Napoleão Bonaparte e Lady Diana, bem como obras consideradas património cultural da humanidade, razão porque é alvo de alguma contestação. Entre essas obras encontram-se objectos pré-colombianos de imenso valor cultural, que se vendem a coleccionadores particulares.

Desde o ano 1823 a sede principal se encontra em King Street. Conta com filiais em todo o mundo: Nova York, Paris, Genebra, Roma, Milão, Los Angeles, Amesterdão, Hong Kong, Singapura, Banguecoque.

Actualmente é propriedade do homem de negócios francês François Pinault.

Sra. Patricia Barbizet, francesa, foi nomeada Chief Executive Officer da Christie’s em 2014, a primeira CEO mulher da empresa.[2]

Em 11 de Maio de 2015, Les Femmes d'Alger ("Version O"), de Pablo Picasso, foi vendido por US $ 179.300.000 tornando-se a obra de arte mais cara a ser vendida em leilão na Christie’s de Nova Iorque. Em novembro do mesmo ano, Nu Couché (1917-1918), de Amedeo Modigliani, foi vendido na Christie’s em Nova Iorque por $ 170.400.000, tornando-se a segunda obra mais cara vendida em leilão.[3] [4]

A Christie’s oferece anualmente cerca de 350 leilões em mais de 80 categorias, incluindo todas as áreas de artes plásticas e decorativas, jóias, fotografias, colecionáveis, vinhos, e muito mais. Christie’s também tem uma história longa e bem sucedida de realização de vendas privadas para os seus clientes em todas as categorias, com ênfase na arte do pós-guerra e contemporânea, impressionista e moderna, arte antiga e joalheria.

A Christie’s tem uma presença global com 54 escritórios em 32 países e 12 salas de leilão em todo o mundo, incluindo Londres, Nova Iorque, Paris, Genebra, Milão, Amsterdam, Dubai, Zurique, Hong Kong, Xangai e Mumbai. Mais recentemente, a Christie’s tem liderado o mercado com iniciativas em mercados emergentes como a Rússia, China, Índia e os Emirados Árabes Unidos, com sucesso de vendas e exposições em Beijing, Mumbai e Dubai.[5]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. «Christie's Sales Fall 5% as `Froth' Comes off Global Art Market». Bloomberg.com. Consultado em 2016-06-22. 
  2. «Patricia Barbizet is shaking up the art world as Christie’s CEO». European CEO (em inglês). 2016-03-31. Consultado em 2016-06-22. 
  3. «A segunda obra mais cara do mundo é de Modigliani: 158,3 milhões de euros». PÚBLICO. Consultado em 2016-06-22. 
  4. «A segunda obra mais cara do mundo é de Modigliani: 158,3 milhões de euros». PÚBLICO. Consultado em 2016-06-22. 
  5. «About Us: This History of Christie's | Christie's». www.christies.com. Consultado em 2016-06-22.