Colégio Allan Kardec

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Colégio Allan Kardec
Vista da fachada do Colégio Allan Kardec
Nomes anteriores Liceu Sacramento
Estilo dominante caracterizado pelo seu estilo arquitetônico típico do inicio do século XX, com características neoclássicas.
Início da construção 1902 (Liceu Sacramentano) - 1907 Colégio (Allan Kardec)
Função inicial Colégio e Centro Espírita
Função atual Memorial Eurípedes Barsanulfo, Museu e Centro Espírita
Website https://cak.org.br
Geografia
País  Brasil
Cidade Sacramento (Minas Gerais)
Coordenadas 19° 51' 54" S 47° 26' 24" O

O Colégio Allan Kardec, criado com o nome Liceu Sacramento em 1902, foi uma instituição de ensino na cidade de Sacramento, Minas Gerais, considerada a primeira instituição de ensino com fundamentos da pedagogia espírita.[1] Projetado e fundado pelo educador e médium mineiro Eurípedes Barsanulfo, o colégio ministrava o curso normal e o ensino da Doutrina Espírita. Forneceu uma primorosa educação gratuita para milhares de pessoas pobres e órfãs.[2] Ainda é tido como exemplo de educação diferenciada e atualmente funciona como um museu, memorial à Eurípedes e centro espírita.[2][3][4]

Metodologia[editar | editar código-fonte]

Nesta época o professor Eurípedes ainda era adepto do catolicismo e utilizava técnicas de dramatização, selecionando as peças trabalhadas pelos alunos, dando preferência às que contivessem ênfase na moral. [5]

Eurípedes dava os papéis teatrais mais tímidos para os extrovertidos e os mais desinibidos para os alunos introvertidos. O jovem, desse modo, desenvolvia a ciência teórica e a arte prática. Ele trabalhava uma proposta parecida com a de Pestalozzi, sem nunca tê-la estudado. [5] Dizia que:

Colégio Allan Kardec Frontal.JPG

Embasado em Platão, justificava a necessidade da boa saúde corporal para um equilíbrio mental, que motivava os alunos na busca da melhoria pessoal, baseado no pensamento de Kant:

Fundação do Colégio Allan Kardec[editar | editar código-fonte]

Após três anos de trabalho educacional no Liceu Sacramentano, narra-se que Barsanulfo se tornou espiritista depois de ler o livro Depois da Morte, de Léon Denis, juntamente com seu tio Mariano da Cunha Júnior. Ao tornar-se espírita a demanda de alunos no Liceu caiu e, afirmando ter recebido ordens expressas de Maria (mãe de Jesus), Eurípedes Barsanulfo começou a lecionar astronomia e o evangelho de Jesus. O fato se dera exatamente a 31 de janeiro de 1907. Começa em Sacramento um ostensivo desenrolar educacional: Os ex-alunos do Liceu reintegraram-se ao novo educandário e mais de duas centenas de outros estudantes se matricularam no colégio. Tamanha demanda de educandos era avantajada para a época, tendo em vista a reduzida densidade demográfica local.

No inicio, o Colégio Allan Kardec funcionava na própria residência de Eurípides, conforme relata Corina Novelino. A casa tornara-se pequena para comportar todos os alunos, e por isso Eurípedes providenciou a derrubada de algumas paredes, formando assim um salão mais amplo, restando apenas mais dois cômodos: a cozinha e uma saleta.[5]

Ensinando o trabalho fraterno aos alunos[editar | editar código-fonte]

Nestes meados recebia-se com atenção os necessitados de amparo espiritual.

Collegio Allan Kardec.JPG

Os educandos auxiliavam na vigilância dos enfermos. Alternavam-se os discípulos no exercício de enfermeiros improvisados, de tal forma que se habituaram à tarefa. Os pacientes descontrolados eram mantidos na cozinha durante os trabalhos de assistência.[7]

Os doentes melhorados passavam a conviver com os alunos do Colégio, seja no recreio ou nas salas de aula durante as atividades. Além de astronomia e orientação evangélica, Barsanulfo ministrava também: português, matemática, geometria, aritmética, trigonometria, ciências naturais, botânica, zoologia, geologia e paleontologia, francês, inglês, castelhano, latim, química, história natural, história do Brasil e do mundo, filosofia, física e literatura.[4]

Conta-se que nos finais dos anos letivos não havia avaliação escrita. O conhecimento era testado em gincanas, as quais mobilizavam pessoas do Estado de São Paulo, Mato Grosso e Minas Gerais, que se reuniam para o festival de conhecimentos. [5]

Referências

  1. FERREIRA, Odilon J. - Eurípedes Barsanulfo - Apóstolo do Bem.
  2. a b Abib, D.. CULTURA ESPÍRITA NO BRASIL/ SPIRITIST CULTURE IN BRASIL. Brazilian Cultural Studies, América do Norte, 224 07 2013. p. 119.
  3. LANG, Alice Beatriz da Silva Gordo. Espiritismo no Brasil. Cadernos CERU, [S.l.], v. 19, n. 2, p. 176 , dez. 2008. ISSN 1413-4519.
  4. a b BIGHETO, Alessandro Cesar. Eurípedes Barsanulfo, um educador de vanguarda na Primeira República. Bragança Paulista: SP. Editora Comenius, 2007.
  5. a b c d NOVELINO, Corina. Eurípedes, o homem e a missão. Araras, IDE, 1997.
  6. RIZZINI, Jorge. Eurípedes Barsanulfo o apóstolo da caridade. São Bernardo do Campo: SP. Editora Espírita Correio Fraterno do ABC, 1979.
  7. FERREIRA, Inácio. Subsídio para a história de Euripedes Barsanulfo. Uberaba, MG, 1962.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.