Colégio Allan Kardec

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Colégio Allan Kardec
Vista da fachada do Colégio Allan Kardec
Nomes anteriores Liceu Sacramentano/Sacramento
Estilo dominante caracterizado pelo seu estilo arquitetônico típico do inicio do século XX, com características neoclássicas.
Início da construção 1902 (Liceu Sacramentano) - 1907 Colégio (Allan Kardec)
Função inicial Colégio e Centro Espírita
Função atual Memorial Eurípedes Barsanulfo, Museu e Centro Espírita
Website http://www.cak.org.br
Geografia
País  Brasil
Cidade Sacramento (Minas Gerais)
Coordenadas 19° 51' 54" S 47° 26' 24" O

O Colégio Allan Kardec, criado com o nome Liceu Sacramento em 1902, foi uma instituição de ensino na cidade de Sacramento, Minas Gerais, considerada a primeira instituição de ensino com fundamentos da pedagogia espírita.[1] Projetado e fundado pelo educador e médium mineiro Eurípedes Barsanulfo, o colégio ministrava o curso normal e o ensino da Doutrina Espírita. Forneceu uma primorosa educação gratuita para milhares de pessoas pobres e órfãs.[2] Ainda é tido como exemplo de educação diferenciada e atualmente funciona como um museu, memorial à Eurípedes e centro espírita.[2][3][4]

Metodologia[editar | editar código-fonte]

Nesta época o professor Eurípedes ainda era adepto do catolicismo e utilizava técnicas de dramatização, selecionando as peças trabalhadas pelos alunos, dando preferência às que contivessem ênfase na moral. [5]

Eurípedes dava os papéis teatrais mais tímidos para os extrovertidos e os mais desinibidos para os alunos introvertidos. O jovem, desse modo, desenvolvia a ciência teórica e a arte prática. Ele trabalhava uma proposta parecida com a de Pestalozzi, sem nunca tê-la estudado. [5] Dizia que:

Colégio Allan Kardec Frontal.JPG

Embasado em Platão, justificava a necessidade da boa saúde corporal para um equilíbrio mental, que motivava os alunos na busca da melhoria pessoal, baseado no pensamento de Kant:

Fundação do Colégio Allan Kardec[editar | editar código-fonte]

Após três anos de trabalho educacional no Liceu Sacramentano, narra-se que Barsanulfo se tornou espiritista depois de ler o livro Depois da Morte, de Léon Denis, juntamente com seu tio Mariano da Cunha Júnior. Ao tornar-se espírita a demanda de alunos no Liceu caiu e, afirmando ter recebido ordens expressas de Maria (mãe de Jesus), Eurípedes Barsanulfo começou a lecionar astronomia e o evangelho de Jesus. O fato se dera exatamente a 31 de janeiro de 1907. Começa em Sacramento um ostensivo desenrolar educacional: Os ex-alunos do Liceu reintegraram-se ao novo educandário e mais de duas centenas de outros estudantes se matricularam no colégio. Tamanha demanda de educandos era avantajada para a época, tendo em vista a reduzida densidade demográfica local.

No inicio, o Colégio Allan Kardec funcionava na própria residência de Eurípides, conforme relata Corina Novelino. A casa tornara-se pequena para comportar todos os alunos, e por isso Eurípedes providenciou a derrubada de algumas paredes, formando assim um salão mais amplo, restando apenas mais dois cômodos: a cozinha e uma saleta.[5]

Ensinando o trabalho fraterno aos alunos[editar | editar código-fonte]

Nestes meados recebia-se com atenção os necessitados de amparo espiritual.

Collegio Allan Kardec.JPG

Os educandos auxiliavam na vigilância dos enfermos. Alternavam-se os discípulos no exercício de enfermeiros improvisados, de tal forma que se habituaram à tarefa. Os pacientes descontrolados eram mantidos na cozinha durante os trabalhos de assistência.[7]

Os doentes melhorados passavam a conviver com os alunos do Colégio, seja no recreio ou nas salas de aula durante as atividades. Além de astronomia e orientação evangélica, Barsanulfo ministrava também: português, matemática, geometria, aritmética, trigonometria, ciências naturais, botânica, zoologia, geologia e paleontologia, francês, inglês, castelhano, latim, química, história natural, história do Brasil e do mundo, filosofia, física e literatura.[4]

Conta-se que nos finais dos anos letivos não havia avaliação escrita. O conhecimento era testado em gincanas, as quais mobilizavam pessoas do Estado de São Paulo, Mato Grosso e Minas Gerais, que se reuniam para o festival de conhecimentos. [5]

Referências

  1. FERREIRA, Odilon J. - Eurípedes Barsanulfo - Apóstolo do Bem.
  2. a b Abib, D.. CULTURA ESPÍRITA NO BRASIL/ SPIRITIST CULTURE IN BRASIL. Brazilian Cultural Studies, América do Norte, 224 07 2013. p. 119.
  3. LANG, Alice Beatriz da Silva Gordo. Espiritismo no Brasil. Cadernos CERU, [S.l.], v. 19, n. 2, p. 176 , dez. 2008. ISSN 1413-4519.
  4. a b BIGHETO, Alessandro Cesar. Eurípedes Barsanulfo, um educador de vanguarda na Primeira República. Bragança Paulista: SP. Editora Comenius, 2007.
  5. a b c d NOVELINO, Corina. Eurípedes, o homem e a missão. Araras, IDE, 1997.
  6. RIZZINI, Jorge. Eurípedes Barsanulfo o apóstolo da caridade. São Bernardo do Campo: SP. Editora Espírita Correio Fraterno do ABC, 1979.
  7. FERREIRA, Inácio. Subsídio para a história de Euripedes Barsanulfo. Uberaba, MG, 1962.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.