Coloured

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma família coloured.

No contexto da África do Sul, e também de países como Namíbia, Zâmbia, Botsuana e Zimbábue, o termo "coloured" é utilizado para se referir a um grupo étnico de pessoas miscigenadas com ancestrais da África subsariana, mas não o suficiente para ser considerada negra de acordo com o Direito da África do Sul. Grande parte dessas pessoas são de raça mista, descendentes de escravos trazidos da África oriental e central, dos khoisan indígenas que ao tempo viviam no Cabo, de negros africanos indígenas e de brancos. Estudos genéticos indicam que o grupo tem um dos níveis mais altos de ancestralidade miscigenada no mundo.[1][2]

A maioria fala a língua africâner. Khoisan é um termo usado para descrever dois grupos separados, fisicamente semelhantes na medida em que tinham a pele clara e eram baixos. Os khoe, chamados hotentotes pelos europeus, viviam da pastorícia e foram efectivamente aniquilados; os san, chamados bosquímanos pelos europeus, eram caçadores-recolectores.

Os mestiços, chamados de "coloured", cuja ancestralidade inclui uma miscigenação entre africanos, europeus e asiáticos, correspondem a 8,9%. Os asiáticos, principalmente de origem indiana, correspondem a 2,5%.

Referências

  1. Schmid, Randolph E. (30 de abril de 2009). «Africans have world's greatest genetic variation». Msnbc.com. Consultado em 23 de outubro de 2009 
  2. Tishkoff SA, Reed FA, Friedlaender FR; et al. (2009). «The Genetic Structure and History of Africans and African Americans». Science. 324 (5930): 1035–44. PMID 19407144. doi:10.1126/science.1172257