Convento da Madre de Deus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Igreja da Madre de Deus
Igreja do Convento da Madre de Deus, Lisboa (Portugal).jpg
Apresentação
Tipo
Diocese
Estilo
Período de construção
Estatuto patrimonial
Monumento Nacional (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Localização
Endereço
Coordenadas

O Convento da Madre de Deus, outrora ocupado pelas monjas da Ordem de Santa Clara, fica situado na zona oriental de Lisboa, e aloja actualmente o Museu Nacional do Azulejo.[1]

Mandado construir em 1509 pela Rainha D. Leonor, mulher do rei D. João II, só cerca de 1550 é construída a actual igreja da Madre de Deus, por ordem do rei D. João III, sendo posteriormente decorada já nos reinados de D. Pedro II, D. João V e D. José, entre finais do século XVII e meados do século XVIII.

Neste templo, a talha e os azulejos constituem um dos melhores exemplos do Barroco em Portugal.

Actualmente, no Convento da Madre de Deus está instalado o Museu Nacional do Azulejo, importante guardador de memórias da cultura portuguesa. O Museu abriga no seu espólio uma extensa coleção que conta desde como o azulejo é fabricado, sua história, tendências e outros aspectos importantes que envolvem esse elemento decorativo e simbólico.

Encontram-se nele sepultadas Isabel de Viseu, Leonor de Avis, Rainha de Portugal e D. Joana de Mendonça, 2ª esposa de Jaime I, Duque de Bragança.

Integrou, em 1983, a XVII Exposição Europeia de Arte Ciência e Cultura. Ao nome deste convento foi buscar o grupo musical português Madredeus o seu nome.

O Convento da Madre de Deus está classificado como Monumento Nacional desde 1910.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Convento da Madre de Deus