Coqueiros (Belo Horizonte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Coqueiro ou Coqueiros, veja Coqueiro (desambiguação).
Coqueiros (Belo Horizonte)
  Bairro do Brasil  
Fonte: Não disponível
Vista da rua Sarapuí (ou rua Diana) no bairro Coqueiros.
Calçamento típico de pedras do bairro.
Uma casa da rua Paládio.
Vista da rua João Gomide Leite, uma das principais do bairro.
Loja de material de construção existente no bairro.

Coqueiros é um bairro da Região Noroeste de Belo Horizonte.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Situado entre os bairros Pindorama, Novo Progresso, Milanez, São Salvador e Glória, o bairro Coqueiros teve origem onde antigamente existiam três fazendas. Nelas eram plantados arroz, milho, feijão e frutas e criados cabritos, cavalos, vacas e bois.

Os moradores revelam que nessas fazendas havia muitos coqueiros. Por conta disso esse ficou sendo o nome do bairro. Os troncos cortados eram usados para fazer pontes sobre os córregos que passavam pelo terreno. Esses córregos possuiam água cristalina que era usada para alimentação, higiene e lazer, já que havia pelo menos duas cachoeiras que se formavam em seu leito. Com o passar do tempo, a população foi crescendo, aumentando o número de dejetos lançados na água, tornando-as poluídas e impróprias para o consumo humano e animal. Assim na década de 90, esse córrego foi canalizado e sobre ele construiu-se a avenida Amintas Jaques de Morais.

Esses córregos eram chamados de “Patriarca e Caravelas”. Durante muito tempo as vias que passavam às suas margens tinham os mesmos nomes. Um nascia onde é hoje o Aterro Sanitário e outro, próximo a BR040, no bairro Pindorama. Eles se encontravam ganhando força e formando a cacheira da Mate Couro, próximo à escola Municipal Luigi Toniolo e à fábrica de refrigerantes Mate Couro.

As primeiras moradias eram feitas de adobe, pau-a-pique e madeira, cercadas por arame farpado ou tela de arame. A água usada pelos moradores vinham de cisternas, de algumas minas ou do Sr. Tianinho que passava pelo bairro com uma carroça vendendo água; a água encanada da Copasa, só chegou por volta dos anos 80.

Os meios de transporte mais comuns na época eram o bonde ou ônibus que só chegavam até a praça São Vicente e de lá as pessoas vinham andando, através de trilhas no meio do mato, até o bairro. Com organização, as pessoas foram melhorando as trilhas e conseguiram que uma jardineira, transportasse as pessoas da praça até o bairro Glória.

Os primeiros ônibus só chegaram em 1957. Eram quatro e saíam da praça São Vicente até o bairro. Pertenciam ao senhor Calu e ao sr. José Horta.

O comércio se restringia ao centro da cidade ou à praça São Vicente. No bairro só havia a “Casa do Português”, na rua Novo Mundo e o “Armazém Astro”, a primeira farmácia só apareceu por volta de 1960.

Não havia luz elétrica para iluminar as casas e ruas. As pessoas usavam lamparinas, velas e lampiões. À noite, traziam os bancos para a frente das casas e ficavam conversando sob a luz da lua e das estrelas, enquanto as crianças brincavam de esconde–esconde, bonecas de pano, de sabugo de milho, de rodar arco com arame, empinar papagaio, jogar bola, finca, fazer bodoque e estilingue.

Com o passar do tempo, as pessoas foram se organizando e conseguiram junto aos órgãos públicos, melhorias para o bairro, como energia elétrica, asfalto, calçamento e pontes. O calçamento das ruas melhorou em meados da década de 80. Já a rede de esgoto, só em meados dos anos 90.

As atividades desenvolvidas pelos moradores eram ainda voltadas para a prática agrícola: capina, horta, plantio, criação de animais, furar cisternas; vendas dos produtos resultantes do seu trabalho: verduras, leite, frutas, ovos, etc.

As crianças participavam do trabalho dos adultos, tinham tarefas e obrigações. Como não existiam escolas, para estudar, elas tinham que ir até o bairro Padre Eustáquio, para a E.E. Professor Morais. As primeiras escolas da região foi a E.E. Olívia Pinto e São Salvador na década de 60. a igreja mais próxima foi a de Nossa Senhora da Glória, na rua Guararapes onde hoje é a E.E.Padre João Maria Koyman e a primeira igreja evangélica funcionava nesta mesma rua, também na década de 70.

O posto de saúde só foi construído na década de 90, os doentes tinham que procurar atendimento médico no 'Posto do SAMU' no bairro Padre Eustáquio,antigo posto do INAMPS.

Telefones públicos e correios chegaram a partir de 1970; o Sr. Tianinho conseguiu uma linha telefônica através do seu genro que era funcionário da companhia telefônica. Os casos urgentes eles informavam aos moradores e as ligações eram pagas.

Na sua localização há a Escola Municipal Luigi Toniolo, localizada na rua Mafra, nº. 124. Surgiu da preocupação de um imigrante italiano, Sr. José Toniolo com o futuro dos jovens carentes, especialmente daquela região. Na época, residente no Bairro Glória, solteiro e possuidor de uma sólida situação financeira, doou ao município (lei 2164 de 12/01/1973, que autorizava o recebimento) um terreno de um quarteirão inteiro situado na Rua Suez, nº 124, contendo a área de 7830m2, com 22 lotes que constituíam a antiga Fazenda dos Coqueiros, lote nº 4, onde funcionaria uma escola técnica, propiciando, aos mais carentes da região, uma formação profissional que lhes garantisse o acesso a uma profissão e a um trabalho decente.

Após a doação, ficou convencionada a construção de uma unidade escolar no prazo de dois anos a ser mantida e administrada pelo município. Mais tarde, nesse local, foi construída a Escola Municipal Luigi Toniolo que recebeu este nome em homenagem ao pai de seu benemérito, Sr. José Toniolo. Ele nasceu em Vicenza na Itália, a 08/09/1864 e faleceu na cidade de Schiavon, Itália em 29/11/1940.

O Bairro ainda conta com uma escola (de 6° a 8° série) Chamada ESCOLA MUNICIPAL PADRE EDEIMAR MASSOTE, o bairro é bem tranquilo,muitas pessoas garantem que é um lugar bom de se viver.

O Bairro tem várias linhas de ônibus com o 4405(COQUEIROS), 4037(NOSSA SENHORA DA GLÓRIA/CENTRO),1404C(PALMEIRAS/SÃO SALVADOR),S54(SHOPPING DELREY/DOM BOSCO), 406(PINDORAMA/ESTAÇÃO SÃO JOSÉ).

Áreas de esporte e lazer[editar | editar código-fonte]

  • Pista de cooper da Av. Amintas Jacques de Moraes
  • Ginásio poliesportivo e campo de futebol da Escola Municipal Padre Edeimar Massote
  • Campo de futebol do condomínio Soldado Wilson Trindade
  • Campos de futebol do Acaraí Esporte Clube

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]