Cruzador português Rainha Dona Amélia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rainha Dona Amélia
NRP República
Carreira   Bandeira da marinha que serviu Bandeira da marinha que serviu
Construção Arsenal da Marinha de Lisboa
Lançamento 1901
Patrono Amélia de Orleães
Período de serviço 1901 - 1915
Estado Desmantelado
Características gerais
Deslocamento 1 683 ton
Comprimento 75 m
Boca 11,4 m
Calado 4,47 m
Propulsão 5 000 cv (quatro máquinas de T.E., com dois veios)
Velocidade 18 nós
Tripulação 263 oficiais, sargentos e praças
Se procura a unidade homónima da Marinha de Guerra Portuguesa, veja NRP República.

O cruzador Rainha Dona Amélia foi uma unidade da Armada Portuguesa, construída no Arsenal de Lisboa, em 1901.

O navio foi baptizado em honra de D. Amélia de Orleães, esposa do Rei D. Carlos I. Em 1910, após a implantação da república, na qual o cruzador teve papel proeminente nos diversos movimentos revolucionários, o seu nome foi alterado para NRP República.

A 6 de Agosto de 1915 perdeu-se por encalhe próximo da Consolação, a sul de Peniche.

O cruzador Rainha D. Amélia tinha casco em aço. Foi o primeiro navio em aço construído no Arsenal de Lisboa com projecto coordenado pelo engenheiro naval Alphonse Croneau, um técnico francês contratado pelo Governo Português para modernizar o Arsenal.

Dispunha do seguinte armamento: quatro peças de 150 mm, duas de 100 mm, duas de 47 mm, duas de 37 mm, duas metralhadoras de 6,5 mm e dois tubos lança-torpedos

De observar que a Marinha Portuguesa voltou a dar a designação "República" a outro dos seus navios. Trata-se do NRP República, que serviu entre 1921 e 1943, como cruzador e como aviso colonial.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]