Diana Domingues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diana Domingues
Nacionalidade Brasil

Diana Galicchio Domingues (Paim Filho, 1947) é uma professora, pesquisadora e artista multimídia brasileira.

Teve uma formação tradicional em Belas Artes mas logo seu interesse se voltou para técnicas não convencionais de produção artística, inspirada por um curso ministrado por Walter Zanini sobre a obra de Marcel Duchamp, passando a trabalhar com fotomecânica e xerografia. Nos anos 1980 dirigiu em Caxias do Sul o Atelier Livre da UCS e o NAVI, trazendo artistas, críticos e teóricos para darem cursos e palestras. Suas pesquisas levaram-na a focar sua dissertação de mestrado sobre bagagens de imagens e processamentos eletrônicos. Esse trabalho, desenvolvido na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, teve boa repercussão, gerando um convite para dar curso na mesma escola em 1991. Seu doutorado aconteceu na PUC-SP, com uma tese intitulada Imagem Eletrônica e a Poética da Metamorfose, e em seguida apresentou uma instalação multimídia interativa na Bienal de São Paulo.[1]

Nos anos 1990 estreitou contatos com pesquisadores e artistas de vários países, fazendo exposições internacionais e organizando em 1995 um simpósio no Memorial da América Latina, junto com uma exposição no MAC-USP, abordando vários aspectos da ligação entre arte, imagem e computação. Em 2002 lançou o livro Criação e Interatividade na Ciberarte.[1] Sua linha de atuação se consolidou em torno das transformações das imagens na passagem de um meio para outro e em suas relações com o corpo, o processo de criação, o funcionamento da mente, a matemática, a computação, os sistemas orgânicos e os de inteligência artificial.[2]

Realizou mais de trinta exposições individuais e mais de cem coletivas, já foi citada em diversas publicações internacionais, e é autora de vários artigos em livros e revistas especializadas. Na VII Bienal de Havana, em 2000, recebeu o Prêmio da UNESCO para a Promoção da Arte. Coordenou o grupo de pesquisa Novas Tecnologias nas Artes Visuais da UCS, integrando pesquisadores e bolsistas das artes, comunicação, informática e automação industrial.[3]. Atualmente é coordenadora do LART, Laboratório de Pesquisa em Arte e TecnoCiência, na Universidade de Brasília campus do Gama e atua como Professora Visitante Nacional Sênior-CAPES. É professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Artes na UnB e no Programa de Pós-Graduação em Eng. Biomédica na FGA-UnB.

Organizou os seguintes livros e catálogos:

  • A Arte no Século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Editora UNESP, 1997.
  • Criação de poéticas digitais. Caxias do Sul: EDUCS, 2005. (Co-organizadora com Suzete Venturelli)
  • Arte e Vida no Século XXI: Tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo: Editora UNESP, 2003.
  • Catálogo INS(H)NAK(R)ES. Ciberinstalação, Evento robótico interativo e Teleperformance de Diana Domingues. Caxias do Sul: Lorigraf, 2001.
  • Catálogo Trans-e: my body, my blood. Interactive Installation of the Diana Domingues. Caxias do Sul: Lorigraf, 1997-2000.
  • Catálogo Eletronic Art Exhibition. 13th SIBGRAPI 2000. Brazilian Symposium on Computer Graphics and Image Processing. Caxias do Sul: Lorigraf, 2000.
  • Catálogo II Bienal de Artes Visuais do Mercosul. Julio Le Parc e Arte e Tecnologia. Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul. Porto Alegre: FBAVM, 1999.
  • Catálogo Arte Tecnologia: A arte no século XXI: a humanização das tecnologias. Caxias do Sul: Gráfica da UCS, 1995.
  • Catálogo Trans-e: o corpo e as tecnologias. Caxias do Sul: Gráfica da UCS, 1995.
  • Catálogo Diana Domingues - XXI Bienal Internacional de São Paulo. 1991.
  • Catálogo Connexio: uma vida óptico-eletrônica para as imagens. São Paulo: Museu de arte Contemporânea – MAC/USP; Porto Alegre: Museu de Arte do Rio Grande do Sul; Salerno: ARTEMEDIA III – Università Degli Studi Di Salerno, 1990.
  • Catálogo Eletrourbs, Eletrogravuras. Rio de Janeiro: Galeria Sergio Milliet; Funarte; Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1982.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]