Discussão:Atentado do Riocentro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Pasquim[editar código-fonte]

O Pasquim fez uma festa com esse atentado! Eles botaram a foto do sargento morto na capa, com uma tarja preta cobrindo o seu corpo estraçalhado, e escreveram como título O PÊNIS DO ANO. Depois, eles apelidaram o capitão Wilson de Capitão Bomba. Ah, pena que isso carece de fontes, se não era para virar artigo! Albmont (discussão) 11h48min de 7 de Abril de 2008 (UTC)

Revisão[editar código-fonte]

Alguém é capaz de informar por que a página está marcada para revisão ? Que inconsistência há nela ? PaulRamone2 (discussão) 02h08min de 5 de junho de 2015 (UTC)

Porque a falta de referências é obvia!RatusNatus (discussão) 17h52min de 14 de julho de 2015 (UTC)

Reversão injustificada de edição[editar código-fonte]

Alefher Andrade Cordeiro reverteu, sem oferecer justificativa, edição que fiz no parágrafo inicial do verbete, em que incluí menção à intenção do atentado caso ele tivesse tido êxito. A informação é básica e já constava do segundo parágrafo do texto. Sua exclusão (injustificada) torna o verbete ininteligível, por remover nexo lógico.

Veja o texto que já constava no segundo parágrafo:

"(o atentado) foi uma tentativa de setores mais radicais do governo (principalmente do CIEx e do SNI) de, colocando a culpa na oposição radical pela carnificina prevista a acontecer, convencer os setores mais moderados de que era necessária uma nova onda de repressão de modo a paralisar a lenta abertura política que estava em andamento."

Comparo, abaixo, o texto original com a edição que fiz. Observe que NÃO houve introdução de informação nova no texto, mas somente o deslocamento de informação para o parágrafo inicial.

Texto original:

O atentado, perpetrado por setores do Exército Brasileiro insatisfeitos com a abertura democrática que vinha sendo feita pelo regime, ajudou a apressar a redemocratização do país, completada quatro anos depois, com a primeira eleição presidencial realizada no Brasil em vinte e quatro anos.[1]

(Uma pergunta óbvia: como é que um atentado "ajuda a apressar a redemocratização do país"? A falta de nexo fica clara quando NÃO se explica que a motivação do ataque era atribuí-lo à oposição ao regime.)


Texto com minha edição:

O atentado, perpetrado por setores do Exército Brasileiro insatisfeitos com a abertura democrática que vinha sendo feita pelo regime, seria atribuído à oposição radical de esquerda, de modo a convencer os setores mais moderados da necessidade de uma nova onda de repressão para paralisar a abertura política. O fracasso do plano ajudou a apressar a redemocratização do país, completada quatro anos depois, com a primeira eleição presidencial realizada no Brasil em vinte e quatro anos.[1]

Reitero que o parágrafo introdutório original *exclui* da narrativa a intenção do atentado, que é uma informação básica e, portanto, torna o ocorrido ininteligível. Estou com a razão e sigo uma sequência clássica de estruturação de informação (o que, quando, onde, por que, como), cabendo a quem *excluiu* a informação explicar sua motivação. Abueno97 (discussão) 11h27min de 16 de julho de 2021 (UTC)

Abueno97 A meu ver, a informação já está clara como está. Com a tua adição, ela foi repetida logo na introdução. Alefermsg 18h06min de 16 de julho de 2021 (UTC)

Alefher Andrade Cordeiro, isto não é matéria para opinião (eu acho isso, você acha aquilo): todo texto tem de responder "o que", "quando", "onde", "como", "por que", e esse texto propositalmente retira o "por que" - ou seja, exclui a motivação do atentado. E o termo "proposital" é chave, aqui. Há claramente uma situação de abuso de poder aqui. Se soubesse como, levaria queixa a seu respeito para a instâncias superiores do Wikipedia. Abueno97 (discussão) 04h34min de 17 de julho de 2021 (UTC)

Abueno97 Um pouco exagerado, temos apenas uma divergência editorial.
O porque já está lá Citação: que ele foi uma tentativa de setores mais radicais do governo (principalmente do CIEx e do SNI) de, colocando a culpa na oposição radical pela carnificina prevista a acontecer, convencer os setores mais moderados de que era necessária uma nova onda de repressão de modo a paralisar a lenta abertura política que estava em andamento.. E essa é só a introdução do artigo, posteriormente há várias seções que desmiúçam o atentado. Caso ainda aches que ela está errada, existe a página Ajuda:Informe um erro, para notificações de erros em artigos. Boas contribuições. Alefermsg 17h04min de 17 de julho de 2021 (UTC)

Alefher, não sei qual a sua área de formação e se teve treinamento específico em redação, mas a estrutura de uma redação clássica prevê, tanto em sua forma acadêmico-científica quanto jornalística, uma hierarquia de assuntos em que se faz primeiro uma síntese temática (introdução) e depois se esmiuça cada tema citado na introdução. O "por quê" integra, necessariamente, a introdução de um texto, não havendo empecilho a seu detalhamento posterior, como ocorre sempre na etapa de desenvolvimento. A redação que propus - e você reverteu duas vezes - mantém a concisão desejada no texto, aumentando-o minimamente. O problema mais importante, porém, é a óbvia ruptura de nexo lógico no texto atual: a não ser que se evidencie que o atentado seria atribuído à oposição para justificar o fechamento do regime, não há como compreender porque seu fracasso "ajudou a apressar a redemocratização do país". Eu alertei sobre isso e você se limitou a dizer que "a informação está clara como está" (sem contestar o que eu disse) e que a inclusão do novo texto na introdução seria redundante com o que já é dito posteriormente (o que não se justifica pelos padrões clássicos de redação). Se, com tudo exposto, você segue achando que minha reação "é um pouco exagerada", não tem a correção e a independência necessárias para a função de editor. Abueno97 (discussão) 19h19min de 17 de julho de 2021 (UTC)

@Abueno97: Bem, podes modificar aquela frase que indiquei, deixando-a mais clara como desejas. Boas contribuições. Alefermsg 03h22min de 22 de julho de 2021 (UTC)