Discussão:Lista de obras de Karl Marx

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Tópico não intitulado[editar código-fonte]

Tendenciosidade A separação do pensamento de Marx em etapas não é consensual e por isso é tendenciosa, e alguém já postou essa observação abaixo. Outro sinal de tendenciosidade é no item "obras traduzidas", na qual apresenta traduções de apenas uma editora, a Boitempo, deixando de lado milhares de outras, e parece mais uma propaganda do que uma contribuição para entender as obras do autor ou saber sobre elas. A seriedade da wikipedia fica comprometida com esses procedimentos.

==

Ficou ótima a lista; muito melhor! Parabéns pelo trabalho, Rjclaudio! --João Menna Barreto (discussão) 02h30min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

Quando as obras tiverem alguma sinopse podemos pensar em criar uma subseção para cada. Por hora, qual o critério da divisão entre as 3 seções ? Seria útil explicar o pq disso no parágrafo introdutório ? => Rjclaudio msg 02h32min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

Adicionei o link para o anexo na {{Marx-Engels}}. Fiz também edição meramente estética. Também gostaria de entender o por quê da divisão em três seções... me pareceram meio arbitrárias, mas se não são, basta escrever na introdução do anexo como o Rjclaudio sugere. Talvez fosse o caso de dividir, como alguns estudiosos fazem, nos escritos do Jovem Marx e do "maduro" (ou algo do gênero) hehe. Abraços — Delemonbão tamém! 08h29min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

Na verdade, essa proposta de divisão é a que está sendo seguida. Particularmente, não sou muito adepto de algumas dessas teses que opões "Max jovem" versus "Marx maduro"... Mas de fato, há um ponto de corte reconhecido pela maioria dos especialistas, que é o de quando Marx começa seus estudos de economia aplicada (deixando um pouco de lado vários debates filosóficos que mantinha até antes). Assim, é que a lista está dividida em três partes: a primeira, refere-se ao dito "jovem Marx" (predominam escritos mais voltados para a filosofia pura); a segunda, é o "período de transição" (quando o Marx passa a ler menos filósofos e mais economistas -- nesse período a produção dele se resume a artigos e panfletos, não produz nenhum grande estudo); e a terceira, refere-se ao dito "Marx maduro" (quando os estudos econômicos transparecem claramente em seus escritos). Abraço! --João Menna Barreto (discussão) 11h15min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)
Na verdade, não me importo se optarmos por retirar as indicações de etapas cronológicas e deixar o anexo em formato de "lista corrida". Que tal? --João Menna Barreto (discussão) 15h56min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

Eu pessoalmente prefiro a lista classificada. Tenho preferência a títulos com texto e não apenas datas, então incluí o nome das fases em cada uma delas. Avisem-me o que acham. Editor br (discussão) 17h39min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

Eu particularmente, não tenho problemas com lista corrida ou dividida em seções; supondo que é um anexo para uma enciclopédia, os dois são aceitáveis. Mas a divisão como está acredito que seja mais interessante, por dividir os trabalhos dele numa linha de pensamento, como o João disse, ora filosófico, ora econômico e filosófico e por fim econômico, acho que faz da lista um anexo mais abrangente para o leitor que passe por aqui; só precisaremos de fontes fiáveis né Hein? Mas acredito que assim está bom. — Delemonbão tamém! 19h10min de 16 de Dezembro de 2008 (UTC)

Mais um livro?[editar código-fonte]

Pessoal, o que fazer com o livro "Peuchet: vom Selbstmord" que no Brasil chegou somente como: "Sobre o Suicídio" pela Boitempo Editorial? O motivo da minha dúvida pode ser visto aqui, e explicito o trecho em questão:

Diferente também na sua origem, o texto tem por base uma tradução comentada de passagens de Du suicide et ses causes, um capítulo das memórias de Jacques Peuchet, diretor dos Arquivos da Polícia de Paris durante o período da Restauração, que se torna uma espécie de "co-autor" desta obra.
Publicado uma única vez durante a vida de Marx, em 1846, e com grande parte da escrita feita por outra pessoa, por que ainda considerá-lo um texto de sua autoria? Para Löwy: “Além de havê-lo assinado, Marx imprimiu sua marca ao documento de várias maneiras: na introdução escrita por ele, na seleção dos excertos, nas modificações introduzidas pela tradução e nos comentários com que temperou o documento. Mas a principal razão pela qual essa peça pode ser considerada expressão das idéias de Marx é que ele não introduz qualquer distinção entre seus próprios comentários e os excertos de Peuchet, de modo que o conjunto do documento aparece como um escrito homogêneo, assinado por Karl Marx”.

(Grifos meus)

O que fazer? Colocar na lista? Se colocar, advertimos o leitor da co-autoria incomum? — Delemonbão tamém! 07h55min de 1 de Janeiro de 2009 (UTC)

Someone? Anyone? Um mês já! Alguém se pronuncia? — Delemonbão tamém! 06h21min de 1 de fevereiro de 2009 (UTC)[Responder]
Yes check.svg Feito Mais de uma década depois, solucionei a questão, adicionando o texto no verbete com breve mas precisa explicação, e acabei de conferir que o usuário acima está inativo. — Fernando Graça Auréola (discussão) 12h35min de 29 de março de 2021 (UTC)[Responder]

As etapas deveriam ser retiradas[editar código-fonte]

Considero que as etapas do pensamento de Marx, opondo jovem e velho Marx é algo contrário ao princípio do wikipedia. é tendencioso, já que há toda uma polêmica sobre isso, e a tese de Althusser e outros, é algo discutível e que foi questionada por dezenas de autores. O ideal é colocar as datas e obras e retirar as indicações - que são tendenciosas - que dizem que ele teve alteração. --Mister X (discussão) 19h26min de 18 de agosto de 2011 (UTC)[Responder]

Quase uma década depois, devo dizer que a questão é pertinente, embora a divisão não seja - em termos filológicos, de biografia, etc. - incoerente. Ademais, não se está opondo Marx nenhum, apenas mostrando seu desenvolvimento, diferenças de temas ou enfoques ao longo da vida e até deslizamento de interesses teórico-práticos (por exemplo, da filosofia estrito senso para textos políticos enquanto jornalista e da filosofia para a "ciência econômica", ainda que preserve da filosofia a dialética ou o método dialético, etc.). Seria preciso apresentar a crítica da divisão e também que ela não é incomum, ao contrário, pode ser pedagógica (se for no sentido marxiano de desenvolvimento), porque é um equívoco praticamente idealista misturar todas as obras de Marx como se tivessem sido escritas de uma vez, como se ele tivesse nascido pronto ou não tivesse crescido em sua práxis, o que uma obra desse tamanho, riqueza e envergadura revolucionária sequer comportaria. — Fernando Graça Auréola (discussão) 12h44min de 29 de março de 2021 (UTC)[Responder]

Symbol declined.svg Discordo. Assim está bom. Micael D. Oi, meu chapa! 12h51min de 29 de março de 2021 (UTC)[Responder]