Discussão:Vida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa



Untitled[editar código-fonte]

Optei por traduzir a entrada inglesa de raiz porque acredito que uma tradução deve ser feita de uma vez só, de modo a produzir um texto final coerente.

Não inclui os vários parágrafos sobre vida artificial por achar que tinham detalhe a mais para um tema que tem uma entrada própria.

Jorge Salgueiro 14:51, 3 Mai 2005 (UTC)

Jogo da vida[editar código-fonte]

Alguém mais ache que seria interessante adicionar alguma seção sobre esse jogo, e como ele resume a vida pela busca por dinheiro? The Sims também merecia ser citado.

Falar de como os jogos abordam a vida poderia render algo bacana.

Abraços!

Flávio, o Maddox blá! 03:10, 11 Junho 2006 (UTC)

Jogos?[editar código-fonte]

Olá, nao entendo por que jogos sobre a vida deveriam ser tratados nesse artigo. Creio que um artigo próprio deve ser criado para tal. A Vida é muito mais do que um conceito referente ao ser humano e sua existencia apenas.

minha opinião é essa.

--Imrahil-msg me-. 05:20, 17 Outubro 2006 (UTC)

Concordo, coloca jogos e falar sobre The Sims nesse artigo é dóse Luan Silva rezende (discussão) 22h10min de 9 de setembro de 2009 (UTC)

Início da vida[editar código-fonte]

Olá! no primeiro parágrafo diz que a vida pode ser considerada como o período entre o nascimento e a morte; sugiro, no entanto, corrigir para entre a "reprodução" (que nos seres sexuados se dá pela fecundação) e a morte, pois a idéia de nascimento está ligada, em geral, à saída do indivíduo do ovo ou do corpo da mãe, no caso dos animais vivíparos. Não está, portando, relacionado ao começo da vida, mas a uma etapa desta. Abraço!não assinouUsuário:Gresgala (02h35min de 13 de Janeiro de 2008)

Oi Gresgala, se você tiver uma fonte fiável para essa afirmação, você mesmo pode colocar lá essa outra definição. --Rui Silva (discussão) 08h00min de 13 de Janeiro de 2008 (UTC)

Repto Sobre a Definição certa das Coisas[editar código-fonte]

Sugestão: Estou interessado no Mundo e não nos protocolos parciais dos poderes instalados.

Aceito o facto de não ser bom escrever artigos directamente como certos nas páginas principais, mas não vejo outra alternativa em razão de que não existe na Wikipédia o separador "Novas Definições", a seguir ao separador "Artigo".

Por favor analisem essa possibilidade, facto essencial para a competitividade da letras, terminando com o protocolo ou mania delirante de uma estrutura única e baseada em estudos e cópias sem nova criação (ocupação do tempo nas universidades e nos lugares políticos).

Ora, as palavras não têm sinónimos sem objectos certos. Por isso, as palavras abstractas não têm aplicação sem os objectivos que lhe dão uma substancialidade definida ou os subjectivos que definirão a atitude social dos educandos. Por exemplo o que a Wikiépia publica, sem qualquer objectividade ou interesse e que apenas serve para confundir e, assim ,afastar os visitantes: "Qualidade, é um conceito subjectivo que está relacionado diretamente às percepções de cada indivíduo. Diversos fatores como cultura, modelos mentais, tipo de produto ou serviço prestado, necessidades e expectativas influenciam diretamente nesta definição." Esta definição é zero, não serve para nada e ninguém pode dela retirar qualquer utilidade, em razão da sua falta de lógica ou sentido e falta de uma substância certa. Por exemplo de outra frase sem sentido e que também não tem substancialidade certa, sendo que as palavras têm de ter um significado certo e não podem designar senão um só objectivo. Ao definir um conceito como incluindo vários significados isso é nada, absolutamente nada, porque todas as coisas que definem entendimento só podem ter um significado certo maior. Esta frase seguinte não é nada: "A vida (do latim vita)[1] é um conceito muito amplo e admite diversas definições. Pode-se referir ao processo em curso do qual os seres vivos são uma parte; ao espaço de tempo entre a concepção e a morte de um organismo[2]; a condição duma entidade que nasceu e ainda não morreu; e aquilo que faz com que um ser vivo esteja vivo. Metafisicamente, a vida é um processo constante de relacionamentos."

A minha opinião não modesta: Só depois de definir a substancialidade abstracta certa é que podemos evidenciar os entendimentos subjectivos, indicar outros usos para as palavras.

Ora, se a Wikiédia é o resultado de um protocolo, então é mais um projecto inobjectivo, dos que retiram a competitividade e fazem o desentendimento, ao considerarem certas as definições publicadas por métodos forçados, designadamente o poder e o interesse de comprar cursos superiores entre famílias do poder político,como sendo eles a interpretação, a realidade, a verdade, a justiça , a lei, etc.

Peço para acabarem com a ditadura do entendimento e criar uma enciclopédia verdadeira e competitiva, por exemplo criando o separador "Novas Definições", onde se podem colocar directamente definições consideradas inovadoras mas com sentido e lógica. O separador "Discussão" servirá para debater as novas definições, criando um circuito ordenado de colaboração e não um molho de palavras e interesses.

Como disse, preocupa-me o Mundo, já que toda a história do homem se baseia na falta de entendimento, derivado da metonímia dos seres. Os sinónimos os certos levam ao entendimento e este à descoberta de linhas orientadoras mais perfeitas.

Neste contexto peço explicações e debate.

Obrigado pela atenção,

Miguel Meireles, miguel.a.meireles@gmail.com


Olá. Meu nome é Eduardo e creio que seu texto é bastante amplo e não se refere exclusivamente ao verbete "Vida". Não concordo com a questão da "ditadura" sugerida pelo Senhor. O projeto Wikia permite a qualquer pessoa criar, com o mesmo layout da Wikipédia, suas próprias definições dos artigos e compartilhá-las com o mundo. Informe-se sobre esse projeto e crie suas próprias definições.

Datação da origem da Vida[editar código-fonte]

Olá. Embora não identificado, meu nome é Eduardo Gonçalves e percebi que não há referências as recentes pesquisas que tratam da datação da origem da vida em nosso planeta, que, assim de cabeça, me remete a 3,5 bilhões de anos. Creio que no mais recente livro do Marcelo Gleiser há referências as mais recentes pesquisas sobre origem da vida. Assim que me certificar, acrescento ao artigo principal se não houver oposição, dando a referência ao livro. Sou novo aqui e quero apenas colaborar. Abraços.

Proposta de Exclusão[editar código-fonte]

Retira a parte: Como é que sabemos se uma dada entidade é ou não um ser vivo? Seria relativamente simples avançar um conjunto prático de critérios se nos limitássemos à vida na Terra tal como a conhecemos (ver biosfera), mas mal abordamos questões como a origem da vida na Terra, ou a possibilidade de vida extraterrestre, ou o conceito de vida artificial, torna-se claro que a questão é fundamentalmente difícil e comparável em muitos aspectos ao problema da definição de inteligência. Por ir contrario a politica da Wikipedia.

Proposta de Exclusão[editar código-fonte]

Retira a parte: Como é que sabemos se uma dada entidade é ou não um ser vivo? Seria relativamente simples avançar um conjunto prático de critérios se nos limitássemos à vida na Terra tal como a conhecemos (ver biosfera), mas mal abordamos questões como a origem da vida na Terra, ou a possibilidade de vida extraterrestre, ou o conceito de vida artificial, torna-se claro que a questão é fundamentalmente difícil e comparável em muitos aspectos ao problema da definição de inteligência. Por ir contrario a politica da Wikipedia. -- Lucas França de Souza 19h26min de 14 de junho de 2011 (UTC)

Também, qual o sentido de dar uma definição metafísica e citar um texto de alunos do segundo ano de biologia? Eles estudam metafísica?