Escola de pensamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde Fevereiro de 2008). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Uma corrente de pensamento pode ser entendida como sendo os laços pessoais que se constroem para criar e propagar ideias novas. Assim, entendem-se os chamados "grupos criativos",[1] cuja importância está na formação de novos conceitos e na consolidação do conhecimento. O primeiro grande exemplo moderno de corrente de pensamento ocorreu quando da criação da bomba atômica no projeto Manhattan. Na época, Enrico Fermi (renomado físico italiano) não apenas conseguiu persuadir novos pesquisadores e fomentar novas verbas, como também difundiu um novo pensar e um novo criar em grupo, até então não comum no meio científico. A base para este sucesso originou-se de outro grupo, o chamado time italiano, formado por jovens pesquisadores da Via Panisperna, do qual Fermi foi líder nato. O grupo iniciou pesquisas com radioatividade, desenvolvendo novas formas de construir o conhecimento e divulgando-o de modo extraordinário e revolucionário.

Cada disciplina possui as suas escolas de pensamento. Na Psicologia, por exemplo, existem atualmente sete grandes escolas de pensamento.[2]

Referências

  1. Domenico de Masi - 2002
  2. Psicoativo.com. «As 7 principais escolas de pensamento da Psicologia». Consultado em 7 de novembro de 2017