Escrita especular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Logotipo da Wikipédia em escrita especular.
No lado esquerdo está escrita a palavra "esquerda" em alemão (links), em escrita especular.
As notas no célebre Homem de Vitrúvio de Leonardo da Vinci estão em escrita especular.
Nesta ambulância romena, observa-se a escrita especular da palavra para "ambulância" em língua romena

A escrita especular ou escrita em espelho (por vezes designada por xenografia, termos gregos para escrita estranha1 ) é uma forma de escrita que se consegue fazer usando um instrumento de escrita sobre papel na direção oposta à que é usada pela maioria dos amanuenses, de tal maneira que o resultado é uma imagem especular da escritura normal ("ao inverso"): aparece normal quando é refletida num espelho. O seu uso mais comum, quando o idioma se escreve da esquerda para a direita, é feito pelos canhotos. Por vezes é utilizada como forma extremamente primitiva de cifra. Hoje em dia o exemplo mas comum de uso é na frente das ambulâncias, onde a palavra "AMBULÂNCIA" está em escrita especular com o intuito de os condutores que se encontrem à sua frente leiam a palavra no sentido normal nos seus espelhos retrovisores.

Um dos mais famosos escritores especulares foi Leonardo da Vinci, pois a maioria das suas anotações pessoais usava este método que combinava com o uso de siglas e abreviaturas para tornar mais difícil a leitura por outras pessoas. Só utilizava a maneira normal de escrita se supusesse que as notas fossem depois lidas por outras pessoas. Leonardo da Vinci era ambidestro, e costumava escrever com a mão esquerda, o que provocava que a tinta manchasse facilmente se escrevesse com o sistema de escrita normal, ou seja, da esquerda para a direita. Também poderá ter querido proteger as suas ideias e evitar que fossem roubadas por outros.

Investigações sobre a capacidade de espelhar a escrita que certas pessoas exibem sugerem que tal é provavelmente herdado e causado por uma organização atípica da linguagem pelo cérebro.2 Não se sabe que percentagem de pessoas tem esta capacidade, mas certamente é reduzida: um jornal australiano fez uma experiência informal e identificou 10 escritores em espelho entre 65 000 leitores3 ). Cerca de metade dos filhos das pessoas com esta capacidade herdam-na.

Referências

  1. Arnaldo Schüler. Dicionário enciclopédico de teologia. [S.l.: s.n.].
  2. Mathewson I.. (2004). "Mirror writing ability is genetic and probably transmitted as a sex-linked dominant trait: it is hypothesised that mirror writers have bilateral language centres with a callosal interconnection". Med Hypotheses. 62 (5): 733–9. DOI:10.1016/j.mehy.2003.12.039. PMID 15082098.
  3. News in Science - Mirror writing: my genes made me do it - 02/06/2004

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]