Estação Ferroviária de Moncorvo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Moncorvo
BSicon BAHN.svg
Linha(s): Linha do Sabor (PK 12,342)
Altitude: 420 m (a.n.m)
Coordenadas: 41°10′20.01″N × 7°2′57.97″W

(≍+41.17223;−7.04944)

(mais mapas: 41° 10′ 20,01″ N, 7° 02′ 57,97″ O)
Concelho: bandeiraTorre de Moncorvo
Encerramento: 1988 (há 33 anos)

A Estação Ferroviária de Moncorvo foi uma interface da Linha do Sabor, que servia a localidade de Torre de Moncorvo, no distrito de Bragança, em Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Linha do Sabor § História

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em 1899, o engenheiro Cachapuz, em representação de uma sociedade de financeiros italianos, pediu autorização ao estado para construir vários caminhos de ferro em Portugal, incluindo um do Pocinho a Moncorvo.[1]

Horário da Linha do Sabor em 1913, incluindo a estação de Moncorvo

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Esta estação situava-se no troço da Linha do Sabor entre o Pocinho e Carviçais, que entrou ao serviço em 17 de Setembro de 1911.[2]

Em 1935, a Companhia Nacional de Caminhos de Ferro realizou obras de ampliação na casa do guarda, de forma a ser utilizada como habitação do inspector do Serviço do Movimento,[3] e em 1939 foi construída uma moradia para 3 habitações.[4]

Encerramento[editar | editar código-fonte]

A Linha do Sabor foi encerrada em 1988.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 51 (1247). 1 de Dezembro de 1939. p. 520. Consultado em 30 de Julho de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  2. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 28 de Julho de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  3. «Os nossos Caminhos de Ferro em 1935» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 48 (1155). 16 de Fevereiro de 1936. p. 96. Consultado em 30 de Julho de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  4. «O que se fez em caminhos de ferro no ano de 1939» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 52 (1249). 1 de Janeiro de 1940. p. 35-40. Consultado em 30 de Julho de 2014 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  5. REIS et al, 2006:150

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]