Et al.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Et al. é uma abreviatura referente a três expressões em latim que diferem apenas no gênero: et alii ("e outros", masculino plural), et aliae ("e outras", feminino plural) e et alia ("e outros", neutro plural),[1] usada em citações bibliográficas quando a obra possui muitos autores.[2] Neste caso, geralmente se indica nominalmente o primeiro autor, seguido da abreviatura et al.

A utilização da abreviatura é convencionada de modo diferente de acordo com a norma, padrão ou formato que indica a sua utilização. Variando desde a quantidade de autores que a produção deve possuir para que o "et al." seja empregado até o modo como este deve ser apresentado. Exemplo:

  • Conforme a ABNT NBR 6023:2002:[3]
SOBRENOME, Nome et al.
  • Conforme a NP 405-1:[4]
SOBRENOME, Nome [et al].

O uso da expressão é indicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas e também em Portugal (segundo as Regras Portuguesas de Catalogação) para as referências bibliográficas com mais de três autores.[3] No entanto, ela faculta a indicação de todos os nomes caso a menção dos autores seja indispensável para certificar a autoria (como em relatórios para órgãos de financiamento, projetos de pesquisa científica etc.).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário tem o verbete et al..

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FRANÇA, Júnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina. Manual para normalização de publicações técnico-científicas.

Referências

  1. Definição no dicionário online Merriam-Webster (em inglês) (Acessado em 19 set 2015)
  2. GODOI, Alda Tenório Coelho A. et al., Guia de Normalização ABNT para Referências e Citações, Campinas, Unicamp, 2008, pp. 5
  3. a b Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6023:2002, Informação e documentação - Referências - Elaboração. Rio de Janeiro, 2002. 24p. Disponível em [1]
  4. Instituto Português da Qualidade. Norma Portuguesa NP 405-1 - Informação e documentação - Referências bibliográficas. IPQ, 1994.