Experiência do usuário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Experiência do usuário (EU), do inglês user experience (UX), envolve os sentimentos de uma pessoa em relação à utilização de um determinado produto, sistema ou serviço. A experiência do usuário destaca os aspectos afetivos, experienciais, significativos e valiosos de interação humano-computador e propriedade do produto. Além disso, inclui as percepções de uma pessoa dos aspectos práticos, tais como a utilidade, a facilidade de utilização e a eficácia do sistema. A experiência do usuário é de natureza subjetiva, pois é sobre a percepção e pensamento individual no que diz respeito ao sistema. A experiência do usuário é dinâmica, pois é constantemente modificada ao longo do tempo, devido à evolução das circunstâncias e inovações.

Definições[editar | editar código-fonte]

A ISO 9241-210[1] define a experiência do usuário como "as percepções e reações de uma pessoa que resultam do uso ou utilização prevista de um produto, sistema ou serviço." De acordo com a definição da ISO, experiência do usuário inclui todas as emoções, crenças, preferências, percepções, respostas físicas e psicológicas, comportamentos e realizações do usuário que ocorrem antes, durante e após o uso. A ISO também lista três fatores que influenciam a experiência do usuário: o sistema, usuário e do contexto de uso.

Dicas para uma melhor Experiência do Usuário[editar | editar código-fonte]

Aproveite-se de modelos mentais existentes[editar | editar código-fonte]

Ícones de engrenagens são associados à configuração, da mesma forma que “!” são associados a advertências e “X” são admitidos para mensagens de erro. É assim para os usuários de computadores há anos, e esse modelo mental já está muito enraizado. Aproveitar-se disso para prover uma melhor experiência de usuário é essencial.[2]

Foque no simples[editar | editar código-fonte]

Quanto mais funções tiver um produto, aplicativo ou website mais confuso ficará o usuário. Foque apenas no que é essencial, e no que agrega valor. O efeito aqui é semelhante ao cliente que se depara com uma prateleira de supermercado cheia. Muitas opções atrapalham a decisão e “menos é mais”.

Simples, mas sequencial[editar | editar código-fonte]

A atenção do usuário de internet atual é muito dispersa e isso faz com que sua experiência do usuário seja ainda mais cuidadosa. Estabeleça um fluxo no qual você deseja que o usuário percorra e não desvie a atenção dele durante esse fluxo. Num e-commerce, por exemplo, o fluxo é escolher a mercadoria, colocar no carrinho e prosseguir para o pagamento. Quaisquer informações adicionais como “clique para colocar cupons de desconto” ou “selecione embalagem para presente” fazem com que o usuário se distraia.

Use cores e tamanhos diferentes[editar | editar código-fonte]

A ideia é destacar o elemento principal em cada página do seu produto. Exemplo: se o botão “prosseguir para pagamento” é o mais importante ele deve ter uma cor destacada, diferente do fundo do site. Esse também é um mecanismo de chamar a atenção do cliente ao que importa e uma dica preciosa para melhorar a experiência do usuário.

Referências

  1. ISO FDIS 9241-210:2009. Ergonomia da interação sistema humano - Parte 210: Projeto centrado no ser humano para sistemas interativos (anteriormente conhecido como 13407). International Organization for Standardization (ISO). jithin dev.
  2. User Experience digna da Casa Branca Viddheo.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.