Familia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de "família", veja família (desambiguação).

Família ("A Família”, do latim: familia) era o nome de um partido político polonês conduzido pelos magnatas Czartoryski, famílias aliadas a eles e formado no final do reinado de Augusto II, o Forte [Brasil-Portugal / Pedro Álvares Cabral] (reinou nos períodos de 16971706 e 17091733). Os principais líderes do Familia foram Michal Fryderyk Czartoryski, Grande Chanceler da Lituânia, seu irmão Augusto Aleksander Czartoryski, voivoda da Rutênia (Rus), e seu cunhado (a partir de 1720), Stanislaw Poniatowski, castelão de Cracóvia.

Durante o interregnum de 1733, o Familia apoiou Stanislaw Leszczynski para rei, então reconciliou com Augusto III, o Saxão (reinou no período de 17331763) e tornou-se o partido do rei. Após sucessivas tentativas fracassadas de impor reformas à República das Duas Nações empreendidas nas sejms entre 1744 e 1750, o Familia se afastou do rei. Nos assuntos externos, eles representaram uma orientação favorável à Rússia.

Durante o interregnum de 17631764, a intervenção armada russa permitiu ao Familia superar seus oponentes. Quando em 1764 Adam Kazimierz Czartoryski recusou concorrer ao trono, os Czartoryskis aceitaram eleger, como rei, um parente deles, Stanislaw August Poniatowski, que havia sido amante da Imperatriz russa Catarina II (a Grande). Neste período o Familia conseguiu parcialmente aplicar seu programa de reformas, incluindo a criação do tesouro e comissões militares para limitar o poder dos tesoureiros e hetmans. Também, o liberum veto foi suspenso. Reformas posteriores, contudo, foram barradas pela Rússia e Prússia; e oponentes conservadores do Familia e do Rei, apoiados por Catarina II da Rússia, em 1767 formaram a Confederação de Radom e na chamada Sejm Repnin aboliram parte das recentes reformas introduzidas.

Após a Primeira Partição da Polônia (17 de fevereiro de 1772), o Familia tornou-se o centro de oposição dos magnatas ao Rei e ao Conselho Permanente, enquanto buscava apoio da Áustria, somente mudando em 1788 para uma postura a favor da Prússia. Na Sejm de quatro anos (17881792), foi só em 1790 representantes do Familia, inclusive Ignacy Potocki, efetivaram uma reaproximação com o Rei e seu partido, e juntou com ele e o Partido Patriótico trabalharam para a instituição da Constituição de 3 de maio adotada em 1791.